13 de Dezembro – Dia Nacional do Forró

A Lei número 11.176/2005 instituiu o Dia Nacional do Forró, em homenagem a data natalícia do músico Luiz Gonzaga do Nascimento, o “Rei do Baião”, 13 de dezembro.

O Forró é uma festa popular brasileira, de origem nordestina, e a dança praticada nestas festas, conhecida também por arrasta-pé, bate-chinela, fobó, forrobodó. No forró, vários ritmos musicais daquela região, como baião, o coco, a quadrilha, o rojão, o xaxado e o xote, são tocados, tradicionalmente, por trios compostos de um sanfoneiro, um zabumbeiro e um tocador de triângulo.

O Forró possui semelhanças com o toré e o arrastar dos pés do índios, com os ritmos binários portugueses e holandeses e com o balançar dos quadris dos africanos. A dança do Forró tem influência direta das danças de salão européia.

O termo “forró”, segundo o folclorista potiguar Luís da Câmara Cascudo, notável estudioso das manifestações culturais populares do Brasil, vem da redução da palavra “forrobodó”, que significa arrasta-pé, farra, confusão, desordem.

Os bailes populares eram conhecidos em Pernambuco por “forrobodó” ou “forrobodança” já em fins do século XIX. Tornou-se um fenômeno pop em princípios da década de 1950. O forró popularizou-se mesmo em todo o Brasil com a intensa imigração dos nordestinos para outras regiões do país, especialmente para as capitais Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

Nos anos 1970, surgiram nessas e noutras cidades brasileiras, “casas de forró”. Artistas nordestinos que já faziam sucesso tornaram-se consagrados (Luís Gonzaga, Dominguinhos, Trio Nordestino, Genival Lacerda) e outros surgiram.

Depois de um período de desinteresse na década de 1980, o forró ganhou novo fôlego de 1990 em diante, com o surgimento e sucesso de novos trios e artistas de forró.

Existem diversos artistas que, entre outras modalidades, também contribuíram, sejam como compositores sejam como intérpretes, com diversos gêneros do forró. Alguns dos mais destacados compositores brasileiros de músicas de forró são: Alceu Valença, Chico Salles, Dominguinhos, Elba Ramalho, Frank Aguiar, Genival Lacerda, Jackson do Pandeiro, Luís Gonzaga, Rita de Cássia, Sivuca, Trio Nordestino, Zé Ramalho, etc.

Fonte: Wikipédia

Anúncios
Published in: on 03/12/2017 at 17:51  Deixe um comentário  
Tags: , ,

10 de Dezembro – Dia Nacional do Sociólogo

O sociólogo é o profissional que interpreta a realidade dos fatos e das relações sociais através da aplicação de métodos científicos e técnicas sociológicas, buscando a partir destes estudos a melhoria da qualidade de vida dos indivíduos na sociedade e na formação da cidadania brasileira.

Atua em diferentes áreas como meio-ambiente, saúde, planejamento urbano, reforma agrária, mercado editorial, agências de pesquisa, recursos humanos, relações internacionais, pesquisa e docência, demonstrando a eficiente e complexa formação acadêmica.

O dia de 10 de dezembro foi escolhido pois marca a promulgação da Lei número 6.888/1980, que dispõe sobre o exercício da profissão de sociólogo, definindo as competências, as condições para a habilitação e as exigências legais para o pleno exercício da profissão. A sociologia integra a grade do ensino médio, conforme a Lei número 11.684/2008, que alterou o art. 36 da Lei número 9.394/2006, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir a filosofia e a sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio.

Fonte: Sindicato dos Sociólogos do Maranhão

Published in: on 03/12/2017 at 02:22  Deixe um comentário  
Tags: ,

08 de Dezembro – Dia Nacional da Família

Dia 08 de dezembro é o Dia Nacional da Família, instituído em 1963 pelo então presidente João Goulart. Nos dias atuais, existem tantas configurações familiares que o mais adequado seria “Dia Nacional das Famílias”.

Segundo o texto do Decreto número 52.748, na família ideal existe amor, confiança, cooperação, respeito, obediência, compreensão e tolerância. A partir dela, adotamos valores e formamos nossa identidade. Existem famílias de vários tamanhos, com diversos costumes e até aquelas que incluem pessoas que nem são parentes. Mas, de qualquer maneira, a família é a forma mais básica de organização da sociedade.

Na Idade Média, as crianças não costumavam receber atenção e carinho. O pai era considerado superior aos outros membros da família e os casamentos eram arranjados de acordo com interesses financeiros. Mas o romantismo europeu do século XVIII modificou este modelo. A privacidade passou a ser mais valorizada, assim como a formação pessoal, moral e espiritual das crianças. A afetividade tornou-se o principal laço entre cônjuges, pais e filhos.

A emancipação das mulheres, no século XX, acarretou novas transformações. Hoje, muitas famílias são sustentadas e chefiadas por elas. Há também diversas famílias monoparentais, em que os filhos são criados só pelo pai ou só pela mãe. Além disso, com o aumento dos divórcios, é comum a convivência na mesma casa entre os filhos dos primeiros casamentos e o novo marido da mãe ou a nova mulher do pai.

No Brasil, a taxa de fecundidade tem diminuído e as famílias estão cada vez menores. Outra novidade é que, diante do aumento do número de idosos, muitas crianças são cuidadas e sustentadas pela avó ou pelo avô.

Fonte: Jornal Ponto Final

Published in: on 03/12/2017 at 01:57  Deixe um comentário  
Tags: ,

07 de Dezembro – Dia Nacional da Silvicultura

Silvicultura é a ciência dedicada ao estudo dos métodos naturais e artificiais de regenerar e melhorar os povoamentos florestais com vistas a satisfazer as necessidades do mercado e, ao mesmo tempo, é aplicação desse estudo para a manutenção, o aproveitamento e o uso racional das florestas. O sucesso de um projeto de silvicultura depende do planejamento e implantação adequada nas várias fases do processo, as quais compreendem: estudo do clima, determinação da espécie e definição do material genético, produção de mudas, preparo do solo, controle de formigas e outros invasores,tratos culturais, tratos silviculturais e colheita planejada.

A silvicultura também está relacionada à cultura madeireira. E o manejo de uma área de silvicultura exige a participação de técnicos de várias áreas.

Busca ainda auxiliar na recuperação das florestas através do plantio de espécies nativas, preferencialmente de caráter regional, de forma a ampliar as possibilidades de manutenção dos biomas locais visando a recuperação de recursos hídricos e manutenção de biodiversidade, de forma a aumentar a eficiência do processo.

Fonte: Wikipédia

Published in: on 03/12/2017 at 01:50  Deixe um comentário  
Tags: ,

25 de Novembro – Dia Nacional da Baiana de Acarajé

Dia instituído pelo Projeto de Lei número 2821/2003.

As primeiras baianas de acarajé foram as africanas, escravas alforriadas, ainda na época do Brasil Colônia. Elas vendiam de porta em porta suas iguarias, como bijus, acarajé, cuscuz, bolinhos e outras delícias da culinária afro-baiana. Saíam vestidas com suas batas brancas, saias, colares, brincos e colocavam seus cestos equilibrados na cabeça.

O acarajé, na sua origem, só poderia ser vendido pelas filhas de Santo de Iansã (Santa Bárbara, no sincretismo entre o catolicismo e o candomblé). A massa do bolinho de feijão fradinho, cebola e sal, frita no azeite de dendê – era feito dentro do próprio terreiro de onde a baiana saía com todas as suas obrigações a serem cumpridas a seu Orixá.

Hoje, a venda do acarajé virou meio de vida para milhares de pessoas e principalmente a população afro-descendente de Salvador, sem necessariamente serem ligadas ao candomblé. Deixaram de trabalhar de porta em porta como seus antepassados e atendem seus clientes em pontos fixos.

Em Salvador já se comemorava o “Dia da Baiana” no dia 25 de novembro e o acarajé, comida típica da culinária local, é considerado Patrimônio Cultural da cidade.

Fonte : CCJC / Portal Rio Vermelho

18 de Novembro – Dia Nacional do Notário e Registrador

18 de novembro foi instituído pela Lei n. 11.630, de 26 de dezembro de 2007, o Dia Nacional do Notário e Registrador, data que inspira a cada ano um momento de reflexão sobre os avanços da atividade para a sociedade brasileira. Isso porque, os serviços prestados pelos cartórios contribuem para o exercício da cidadania, acompanhando o cidadão ao longo de toda vida, desde o nascimento até o óbito. A trajetória inicia quando os pais buscam um cartório para fazer o registro de nascimento de seus filhos. Anos depois, com o ingresso na faculdade, é preciso autenticar documentos para a matrícula. Se o menor de idade vai morar e estudar em outra cidade, talvez seja necessária a emancipação. Depois vêm contratos de aluguel, a compra do primeiro carro, o casamento, a casa própria, entre outras diversas conquistas ao longo da vida que passam pelos cartórios para ter validade e segurança jurídica.

Documento estabelecido constitucionalmente, o Registro Civil brasileiro garante ao cidadão acesso as condições básicas de cidadania ofertadas pelo Estado como saúde e educação, além de ser pré-requisito para obtenção de documentos fundamentais como Registro Geral (RG) e Cadastro de Pessoa Física (CPF). Em 10 anos, o número de crianças não registradas em cartórios no ano do nascimento caiu de 18,8% em 2003 para 5,1% em 2013 de acordo com relatório do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o país se aproxima da erradicação do subregistro, sendo que o percentual considerado pelos organismos internacionais como erradicado é de 5%.

Essa conquista reflete algumas iniciativas como a gratuidade da primeira via dos registros de nascimentos, a realização de campanhas nacionais, a instalação de postos dos cartórios nas maternidades e a criação do compromisso nacional pela erradicação do subregistro de nascimentos e ampliação do acesso à documentação civil básica.

Fonte: ANOREG/BR

 

05 de Novembro – Dia Nacional do Radioamador

Até o ano de 1968 o Dia do Radioamador era festejado em 22 de outubro, porque nesta data, em 1934, foi realizada a sessão da assembleia geral dos radioamadores paulistas e cariocas, fundindo as duas entidades que existiam, transformando-as na LABRE – Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão.

A fixação de 05 de novembro como o Dia Nacional do Radioamador foi em razão de que, nesta data, no ano de 1924, o Diário Oficial da União publicou, sob o número 16.657, o Decreto que regulamentava as estações de radioamadores existentes no Brasil. O referido Decreto foi baixado tendo em vista a representação feita no ano de 1923, pela Academia Brasileira de Ciências, reconhecendo a existência do radioamadorismo no Brasil.

Passados mais de 100 anos desde a primeira transmissão, feita por volta de 1893 pelo Padre Roberto Landell de Moura, o radioamador, mesmo com toda sua atuação em várias frentes, ainda continua sendo um serviço desconhecido da população em geral.

Os radioamadores foram os pioneiros nas telecomunicações. Eles ajustavam e experimentavam, tentavam isso e aquilo, sempre com o propósito de aumentar o alcance da comunicação ou a eficiência do equipamento. Os radioamadores foram os primeiros a demonstrar a grande utilidade das ondas curtas. Foram, também, os primeiros no uso do espectro das ondas de VHF e UHF. Foram os primeiros a projetar praticamente os equipamentos de transmissão e recepção, empregando válvulas a vácuo e contribuíram bastante para a pesquisa da radiopropagação. Foram os primeiros a abolir completamente as transmissões empregando faísca e também a utilizar a telegrafia.

O radioamadorismo tem sido uma verdadeira câmara de compensação de ideias, e um campo de provas para quase todos os grandes projetos técnicos e operacionais no campo de radiocomunicação.

O radioamadorismo, desde o princípio, ganhou destacada reputação por facilitar as comunicações durante as emergências, ou quando os outros meios falham ou estão sobrecarregados. Os anais da história do radioamadorismo contém um impressionante relatório das várias emergências, catástrofes, epidemias e tantos outros fatos, nos quais os radioamadores, com habilidade e devoção, e até mesmo com o sacrifício pessoal, serviram as suas comunidades e trouxeram recursos rápidos àqueles que necessitavam. Grandes dificuldades foram atenuadas e milhares de vidas e propriedades valiosas foram salvas por seu esforço. Os radioamadores consideram essa assistência em dever e estão sempre prontos para servir a humanidade.

“Salve o Brasil, salve a Labre, salvem os radioamadores brasileiros” – assim se expressavam os antigos radioamadores ao término de suas transmissões.

Fonte: QTCBrasil

05 de Novembro – Dia Nacional do Escrivão de Polícia

O dia 05 de novembro foi escolhido como o Dia Nacional do Escrivão de Polícia, em referência ao jurista, diplomata e escritor Ruy Barbosa, nascido nesta data no ano de 1849.

O profissional é responsável pela formalização do Inquérito Policial, ou pela documentação do mesmo. Tudo o que acontece no Inquérito deve ser “colocado no papel” pelo Escrivão. O profissional pode ser graduado em ensino superior em qualquer área e seu trabalho é de suma importância no andamento dos processos e depoimentos na delegacia.

Sua função é documentar e acompanhar o desenvolvimento de processos policiais. Ele materializa os atos de Polícia Judiciária definidos na esfera de sua competência funcional pelo Código de Processo Penal e por outras normas que regem essa atividade, inclusive técnicas e éticas.

O escrivão pode atuar nas polícias Federal, Civil ou Militar.

Suas atribuições são assessorar, executar e controlar os trabalhos relacionados à formalização dos atos de Polícia Judiciária por determinação e orientação da Autoridade Policial a que estiver subordinado nos inquéritos policiais, sindicâncias e processos administrativos disciplinares; expedir certidões de ofício e mediante requerimento deferido pela Autoridade Policial.

Executar tarefas administrativas pertinentes às atividades cartorárias; responder pela guarda de bens, valores e instrumentos de crime entregues à sua custódia em razão de sua função, dando-lhes a destinação legal; proceder e manter registro atualizado das estatísticas inerentes aos trabalhos policiais do seu cargo; receber e recolher à repartição competente as importâncias ou valores relativos à fiança; zelar pelo cumprimento dos prazos legais; proceder a outros atos de natureza tipicamente cartorária; manter o sigilo necessário à elucidação dos fatos e às investigações, dentre outras determinadas pelas autoridades competentes.

Trata-se de um trabalho burocrático, de organização. O profissional deve possuir capacidade de identificar e lidar com problemas simultaneamente, discriminando partes de um todo, englobando-as em uma percepção geral. É preciso ser atento, possuir boa memória e raciocínio lógico. Além da capacidade para estabelecer relacionamentos interpessoais de forma cortês, criando um clima de confiança, cordialidade e respeito mútuo.

Fonte: Nova Concursos / Saga Policial

Published in: on 05/11/2017 at 00:40  Deixe um comentário  
Tags: , ,

27 de Novembro – Dia Nacional de Combate ao Câncer

O Dia Nacional de Combate ao Câncer foi criado através da portaria do Ministério da Saúde GM número 707, de 7 de dezembro de 1988, com a finalidade de evocar o importante significado histórico das entidades de combate ao câncer, de consagração aos inumeráveis e valiosos serviços prestados ao país e proporcionar importante mobilização popular quanto aos aspectos educativos e sociais na luta contra o câncer. Ele é comemorado todos os anos, no dia 27 de novembro, com um tema diferente.

Câncer é grave e pode ser fatal, mas com o diagnóstico precoce e os modernos tratamentos disponíveis, a taxa de cura dobrou nos últimos anos.

As células do organismo humano nascem com um “programa” estabelecido: viver por determinado tempo, dividir-se dando origem a outras células e morrer. O câncer ocorre quando os mecanismos internos de uma célula sofrem alteração e seu “programa” original é interrompido. A célula transformada não só não morre como passa a dividir-se aceleradamente e forma um tumor, que pode ser benigno ou maligno. Benigno é o tumor que cresce devagar e não se espalha para outros tecidos e órgãos, ou seja, não dá metástase. Já maligno é o que cresce rapidamente e pode se espalhar para outros tecidos e órgãoem várias regiões do corpo.

A doença pode desenvolver-se em homens e mulheres, com ou sem predisposição genética. Favorecem seu surgimento: alcoolismo, tabagismo, alimentação rica em gorduras animais e pobre em frutas, verduras e vegetais, sedentarismo, obesidade, falta de higiene, exposição excessiva ao sol, vírus e outros agentes infecciosos, aditivos alimentares como corantes e conservantes, exposição a agentes químicos, radiações e estresse. Os cânceres mais comuns no homem são: pulmão, próstata estômago, colo e reto. Na mulher: mama, pulmão, colo de útero, endométrio e ovário.

No passado recente, o câncer era mais comum a partir da sexta ou da sétima décadas de vida. Mas a doença tem aparecido cada vez mais em pessoas jovens, na quarta e na quinta décadas, sendo uma das causas a maior ação dos fatores ambientais. O câncer na fase inicial muitas vezes não dá sintomas nem sinais. Em geral eles surgem nas fases mais avançadas. Algumas indicações são: mudança repentina no hábito intestinal ou urinário; feridas que não cicatrizam; sangramentos não usuais; inchaço ou nódulos na mama ou em outros órgãos; indigestão ou dificuldade para engolir; mudanças de cor e/ou de forma em verrugas e pintas; tosse ou rouquidão por mais de duas semanas. Constituem indicações importantes ainda perda de peso, fraqueza, febre e dor.

Fonte: Inca / Portal Caras

combate-ao-cancer

 

Published in: on 03/11/2016 at 01:26  Deixe um comentário  
Tags: , ,

23 de Novembro – Dia Nacional do Engenheiro Eletricista

A Presidência da República sancionou, no dia 29 de outubro de 2009, lei que institui o Dia Nacional do Engenheiro Eletricista. Agora, a data será celebrada todo dia 23 de novembro de cada ano, segundo o texto da Lei número 12.074 assinado pelo presidente em exercício, José Alencar. A data foi escolhida em homenagem a inauguração do IEMI, a primeira escola de engenharia do Brasil.

No final do século XIX e início do século XX, o Brasil passava por sua gênese no uso de energia elétrica e de suas utilidades. Até as primeiras décadas do século XX se instalou no país um grande número de pequenas usinas geradoras de energia elétrica destinada à iluminação pública e particular, alimentação dos bondes usados no transporte público e ao uso industrial, principalmente do setor têxtil. Tudo isso dependia de técnicos estrangeiros para ser implementado, e o Brasil não podia permanecer nessa situação ainda mais em se tratando de um setor de suma importância para o desenvolvimento do país. Foi nesse período que surgiu Theodomiro Carneiro Santiago, uma grande personalidade na história da engenharia brasileira.

Theodomiro formou-se em direito em 1906 pela Faculdade de Direito de São Paulo, e não tardou em mostrar seu espírito empreendedor e visionário. Como diretor da escola secundaria de Itajubá, percebeu a necessidade de uma escola de engenharia que além da teoria fornecesse formação experimental, algo que faltava aos engenheiros da época. Resolveu, então, criar o Instituto Eletrotécnico e Mecânico de Itajubá (IEMI). Para alcançar seu sonho, o Dr. Theodomiro viajou para a Europa em 1912, visitando os principais centros de Engenharia Elétrica, particularmente na Bélgica, França, Alemanha, Inglaterra, Itália e Suiça. Ao fim da viagem voltou para o Brasil, tendo antes contratado professores belgas, franceses e suíços, além de comprado os equipamentos necessários para a montagem dos laboratórios do IEMI. Após muitas dificuldades, agravadas por se tratar de uma cidade do interior, o IEMI finalmente foi inaugurado em 23 de novembro de 1913.

O Engenheiro eletricista é o profissional dedicado ao desenvolvimento e à aplicação de um conjunto de conhecimentos científicos necessários à pesquisa, ao projeto e à implementação de sistemas diversos utilizados para efetuar o processamento da energia elétrica e da informação na forma de sinais elétricos digitais e analógicos. Nesta prática, são considerados os aspectos de qualidade, confiabilidade, custo e segurança, bem como os de natureza ecológica e ética profissional.

O campo de trabalho é vasto e inclui empresas de energia elétrica e telecomunicações, escritórios de projetos e consultoria, firmas de montagem e manutenção de instalações elétricas e de telecomunicações, indústrias diversas e empresas comerciais de pequeno e grande porte, manutenção de equipamentos e componentes eletro-eletrônicos, hospitais, empresas de radiodifusão, informática etc.

No Brasil é considerado Engenheiro Eletricista quem for formado em engenharia elétrica, porém para poder exercer a profissão é necessário registro no sistema do CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) do estado onde atua. No artigo 55 da Lei número 5.194 de 1966, é definido como infração o engenheiro que exerça atividade profissional sem registro no CREA do estado em que atua, com penalidade prevista na alínea “b” do artigo 73 da mesma Lei.

Fonte: CREA-MT / Familia Chimite / Wikipédia

engenheiro-eletricista1