1º de Novembro – Dia Mundial do Veganismo – World Vegan Day

O veganismo é uma filosofia prática motivada por convicções éticas ou um estilo de vida com base nos Direitos Animais, que procura evitar exploração ou abuso dos mesmos, através do boicote a atividades e produtos considerados especistas.

O dia 1º de Novembro é marcado pelo Dia Mundial Vegano, que é comemorado desde 1994, quando a Vegan Society da Inglaterra comemorou 50 anos de criação.

O termo inglês vegan foi usado pela primeira vez em 1944, pela Associação Vegetariana Inglesa. Trata-se de uma abreviatura que parte da palavra “vegetarian“, em que se consideram as 3 primeiras letras e as 2 últimas para formar a palavra vegan. O mesmo em português, na formação do termo vegano (s.m. adepto do veganismo – fem. vegana). Tem sido usado também o termo veganista para se referir aos adeptos do veganismo, ou mesmo o original em inglês, vegan.

Carnes, gelatina, lacticínios, ovos, mel e quaisquer alimentos de origem animal, que envolvam sua morte ou exploração, não fazem parte de uma dieta vegana. Consomem-se basicamente cereais, frutas, legumes, vegetais, hortaliças, algas, cogumelos e qualquer produto, industrializado ou não, desde que não contenha nenhum ingrediente de origem animal.

Artigos em peles, couro, lã, seda, camurça ou outros materiais de origem animal (como adornos de pérolas, plumas, penas, ossos, pêlos, marfim) são preteridos, pois implicam a exploração dos animais que lhes deram origem. Sendo assim, um vegano se veste de tecidos de origem vegetal (algodão, linho, etc.) ou sintéticos (poliéster, etc.).

Evitam o uso de remédios alopáticos, por serem obrigatoriamente testados em animais na maior parte do mundo. Podem optar pela fitoterapia, homeopatia ou qualquer tratamento alternativo. Alguns não tomam vacinas ou soros, mas podem violar os princípios veganos quando alternativas não estiverem disponíveis em caso de emergência ou urgência.

O vegano defende o surgimento de alternativas para experiências laboratoriais, como testes in vitro ou cultura de tecidos. São divulgadas entre a comunidade vegana extensas listas de marcas e empresas de cosméticos e produtos de limpeza e higiene pessoal não testados em animais.

Circos com animais, rodeios, vaquejadas, touradas e jardins zoológicos, são também alvo de críticas pois implicam em escravidão, posse, deslocamento do animal de seu habitat natural, privação de seus costumes e comunidades, adestramento forçoso e sofrimento.

Não caçam, não promovem nenhum tipo de pesca, e boicotam qualquer “esporte” que envolva animais não-humanos. Muitos seguem o princípio político da não-violência.

Lista de veganos Famosos: Alicia Silverstone, Clint Eastwood, Gillian Anderson, Pamela Anderson, Tobey Maguire, Lenny Kravitz, Paul McCartney, Donald Watson (fundador da Vegan Society Inglesa e difusor do termo vegan), Mahatma Gandhi, Carl Lewis, etc.

World Vegan Day is an annual event celebrated on 1 November, by vegans around the world. The Day was established in 1994 by Louise Wallis, then President & Chair of the The Vegan Society UK.

Fonte: Wikipédia

veganismo

14 de Outubro – Dia Nacional da Pecuária

O Dia Nacional da Pecuária é comemorado anualmente em 14 de outubro.  Esta é uma data muito importante, pois esta essa atividade é bastante expressiva para o Brasil, já que traz desenvolvimento ao nosso país, expande mercados e é responsável pelo alimento saudável de cada dia, além de muitos outros produtos que vem se desenvolvendo ao longo do tempo, como a produção de produtos para o vestuário.

A pecuária é vista como seguimento importante em nossa economia, em todas as regiões do Brasil encontramos seu desenvolvimento nas mais diversas áreas, como bovinocultura, suinocultura, ovinocultura e muitos outros, produzindo produtos de qualidade, seguindo as mais rigorosas normas de produção.

Uma vasta gama de alimentos que consumimos em nosso dia a dia são de alguma forma derivados da pecuária, já que ela nos proporciona, com toda a qualidade, carnes de porco, boi ou frango, e ainda diversos derivados como ovos, leite, manteiga e muitos outros que de uma forma ou de outra derivem de origem animal.

Além do setor de alimentos, é muito comum propriedades que trabalhem apenas com criação de bezerros e outros mais modernos e tecnológicos que trabalham apenas com sêmen.

Nossa produção é amplamente exportada para os países da Europa e Ásia e para aos Estados Unidos, já que contamos com qualidade, sempre evitando o sofrimento animal.

A pecuária começou a se desenvolver no Brasil em meados do século XIX, se tornando mais sólida no século XX com o desenvolvimento de tecnologia na área da genética, permitindo otimizar a produção para o caráter industrial.

Esse mercado é próspero, já que os pecuaristas vêm buscando se adaptar a esse mercado cada vez mais competitivo, buscando sempre intensificar suas atividades de produção, com a utilização de material genético adequado, manejo reprodutivo e técnicas avançadas de cruzamentos, da mesma forma as tecnologias para a produção, para o fornecimento de alimentos e para todas as outras etapas de manejo, se tornando cada vez mais avançadas e eficientes.

O mercado está em expansão, contando nos dias de hoje com o desenvolvimento da ovinocultura, que é a criação de ovelhas e a estrutiocultura, que é a criação de avestruz. Nesse último caso, vem se observando excelentes resultados com a produção de carne saborosa e produtos como bolsas e sapatos de seu coro.

Fonte: Calendário BR

pecuaria

 

Propriedades da Banana

A banana contém três açúcares naturais – sacarose, frutose e glicose, combinados com fibra. A banana dá uma instantânea e substancial elevação da energia. Pesquisas provam que apenas duas bananas fornecem energia suficiente para um treino de 90 minutos extenuantes. Não é à toa que a banana é a fruta número um dos maiores atletas do mundo.  Mas energia não é a única forma de uma banana poder nos ajudar a manter a forma. Pode também nos ajudar a curar ou prevenir um grande número de doenças, tornando-se uma obrigação adicionar a banana à nossa dieta diária.

Depressão: De acordo com recente pesquisa realizada pela MIND, entre pessoas que sofrem de depressão, as pessoas se sentiam melhores após ter comido uma banana. Isto porque a banana contém triptofano, um tipo de proteína que o corpo converte em seratonina, reconhecida por relaxar, melhorar o seu humor e, geralmente, fazem você se sentir mais feliz.

TPM:  Esqueça as pílulas, coma uma banana. A vitamina B6 regula os níveis de glicose no sangue, que podem afetar seu humor.

Anemia: contendo muito ferro, bananas estimulam a produção de hemoglobina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Pressão Arterial: Este fruto tropical é muito rico em potássio, mas reduzido em sódio, tornando-a perfeita para combater a pressão alta. Tanto é assim, que a Food and Drug Administration nos Estados Unidos, permitiu que a indústria da banana oficialmente informasse ao publico, que ao comer essa fruta, ela poderá reduzir o risco de pressão alta e infarto.

Cérebro: 200 estudantes da escola Twickenham na Inglaterra tiveram ajuda nos exames este ano, comendo bananas no café da manhã, lanche e almoço em uma tentativa de elevar sua capacidade mental. A pesquisa mostrou que o elevado teor de potássio na banana, pode ajudar a aprendizagem, tornando os alunos mais alertas.

Constipação: com elevado teor de fibra, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, ajudando a superar o problema sem recorrer a laxantes.

Ressaca: uma das formas mais rápidas de curar uma ressaca é fazer uma vitamina de banana, adoçado com mel. A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel aumenta os níveis de açúcar no sangue, enquanto o leite suaviza e reidrata o sistema.

Azia: elas têm efeito antiácido natural no organismo, por isso, se você sofre de azia, experimente comer uma banana para aliviar.

Enjoo matinal: comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

Picadas de mosquito: antes do creme para picada de inseto, experimente esfregar a zona afetada com a parte interna da casca da banana. Muitas pessoas acham excelentes para reduzir o inchaço e a irritação.

Nervos: Bananas são ricas em vitaminas do complexo B que ajuda a acalmar o sistema nervoso.Excesso de peso e no trabalho? Estudos do Instituto de Psicologia na Áustria mostram que a pressão no trabalho leva à excessiva ingestão de alimentos como chocolate e biscoitos. Estudando 5000 pacientes em hospitais, pesquisadores concluíram que os mais obesos eram os que mais sofriam de pressão alta e ataques de ansiedade. O relatório desse estudo, concluiu que: para evitar que comamos biscoitos e doces quando estamos ansiosos, então é necessário que se coma alimentos ricos em carboidratos a cada duas horas para manter níveis estáveis de açúcar no sangue, e é aí que entra a nossa querida banana.

Úlceras: A banana é usada na dieta diária contra desordens intestinais pela sua textura macia e suavidade. É a única fruta crua que pode ser comida sem desgaste em casos de úlcera crônica. Também neutraliza a acidez e reduz a irritação, protegendo as paredes do estômago.

Controle de temperatura: Muitas culturas veem a banana como fruta ‘refrescante’, que pode reduzir tanto a temperatura física como emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas comem bananas para os bebês nascerem com temperatura baixa.

Seasonal Affective Disorder (SAD): a banana auxilia os que sofrem SAD, porque contêm a vitamina B6 e Triptofano, que nos acalma e nos faz ficar bem humorados.

Fumar e Uso do Tabaco: As bananas podem ajudar as pessoas que tentam deixar de fumar. Vitaminas  A, B6 e B12, assim como o potássio e magnésio, ajudam o corpo a recuperar dos efeitos da retirada da nicotina.

Stress: O potássio é um mineral vital, que ajuda a normalizar os batimentos cardíacos, levando oxigênio ao cérebro e regula o equilíbrio de água no corpo. Quando estamos estressados, nossa taxa metabólica se eleva, reduzindo os níveis de potássio que podem ser reequilibrado com a ajuda da banana, que é rica em potássio.

Enfarto: de acordo com pesquisa publicado no New England Journal of Medicine, comer bananas como parte de uma dieta regular, pode reduzir o risco de morte por enfarto em até 40%!

Verrugas: os interessados em alternativas naturais juram que se quiser eliminar verrugas, pegar um pedaço de casca de banana e colocá-lo sobre a verruga, com o lado amarelo para fora. Segure cuidadosamente a casca no local com esparadrapo!

Assim, a banana é um remédio natural para muitos males. Quando você compará-lo com uma maçã, tem quatro vezes mais proteínas, duas vezes mais carboidratos, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais. Também é rica em potássio e é um dos alimentos mais valiosos para nossa saúde. Então talvez seja hora de mudar essa frase em inglês, tão conhecida: “1 apple a day, keep the doctor away”, e que nós traduzindo deveríamos usar: “Uma banana por dia mantém o doutor sem freguesia!”

Bananas devem ser a razão pela qual os macacos são tão felizes o tempo todo! Vou acrescentar uma dica aqui; quer um brilho rápido nos sapatos? Pegue a parte de dentro da casca da banana e esfregue diretamente sobre o sapato… Passe após  um pano seco. Fruto incrível!

Fonte: FisioBrasil

bananas

Published in: on 16/02/2014 at 20:50  Deixe um comentário  
Tags: , , , ,

21 de Novembro – Dia Mundial da Pesca – World Fisheries Day

O Dia Mundial da Pesca é comemorado anualmente em 21 de novembro em todo o mundo pelas comunidades de pescadores, através de comícios, seminários, reuniões públicas, programas culturais, dramatizações, exposições, show de música e demonstrações de destacar a importância da manutenção da pesca do mundo.

Alertas repetidos têm sido emitidos pelas agências da ONU sobre a inquietante situação da pesca no mundo. Os últimos relatórios dizem que 52% dos recursos pesqueiros já estão “plenamente explorados”; 25% sobreexplorados (dos quais 7% já esgotados); e 20% “moderadamente explorados”. E as duas regiões em que a situação mais preocupa são o Atlântico Sul e o Nordeste.

Fora a produção das aquiculturas, 95 milhões de toneladas são pescadas anualmente. Somada a produção das aquiculturas, são mais de 140 milhões de toneladas por ano, das quais 105,6 milhões se destinam a consumo humano (que dobrou em 30 anos) e o restante à produção de farinha de pescado (para alimentar peixes) e azeite. É um setor bastante subsidiado, com US$ 15 bilhões anuais, segundo o Banco Mundial. As exportações já totalizam US$ 71 bilhões por ano. O consumo médio no mundo é de 16 quilos anuais por pessoa; no Brasil, 7 quilos (8% do consumo de carnes).

Complicado é que as previsões da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) afirmam que, apesar da crise, a pressão sobre os estoques triplicará até 2050, no ritmo atual. E continua a perder-se 20% do que é pescado, com peixes presos acidentalmente nas redes. Nos oceanos, o número de zonas mortas dobrou em 15 anos, principalmente por causa do lixo plástico que a elas chega – média de 18 mil fragmentos por quilômetro quadrado – e dos resíduos de fertilizantes usados na agricultura (100 milhões de toneladas por ano chegam aos oceanos). Sessenta por cento dos ecossistemas e da biodiversidade em águas profundas e em alto mar estão em perigo, com ameaças crescentes, diz o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, num estudo conjunto com a União Internacional para Conservação da Natureza.

A Associação Americana para o Progresso da Ciência fez um apelo para que se embargue a pesca em águas profundas, a mais de 500 metros, onde está sendo perdida a biodiversidade, antes mesmo de estudada – e perdida com a pesca por embarcações moderníssimas, que recebem US$ 152 milhões por ano em subsídios para 1,1 bilhão de litros de combustíveis que usa.

World Fisheries Day is celebrated every year on November 21 throughout the world by the fisherfolk communities. Fishing communities worldwide celebrate this day through rallies, workshops, public meetings, cultural programs, dramas, exhibition, music show, and demonstrations to highlight the importance of maintaining the world’s fisheries.

Aquacultura ou aquicultura é o cultivo de organismos aquáticos, incluindo peixes, moluscos, crustáceos, anfíbios e plantas aquáticas para uso do homem.

Fonte: Special Forever / eAgora / Wikipédia

pesca3

11 de Outubro – Dia Nacional de Prevenção da Obesidade

A obesidade é o excesso de gordura corporal, que acumulada no organismo é prejudicial à saúde. Como causas do aumento da morbidade em pacientes obesos se inclui a resistência à insulina, diabetes mellitus tipo 2, hipertensão, aterosclerose, distúrbios pulmonares, câncer, alterações nos lipídios séricos, entre outros.

O tratamento da obesidade se baseia em exercícios físicos, mudança dos hábitos alimentares e quando o excesso de peso representa um risco à saúde, associam-se medicamentos ou procedimentos cirúrgicos.

Atualmente, existem fármacos que diminuem a fome (catecolaminérgicos), que aumentam a saciedade (serotoninérgicos) e os que diminuem a absorção de gorduras.

Combater e prevenir são ações urgentes diante de um problema que vem adquirindo proporções epidêmicas. Segundo projeção da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2015, cerca de 2,3 bilhões de adultos vão estar com sobrepeso e mais de 700 milhões serão obesos.

No Brasil, os números atuais mostram que a obesidade já é um problema de saúde pública. O excesso de peso acomete 40% da população brasileira, aumentando o risco de doenças como pressão alta, diabetes, colesterol alterado entre outras.

Fonte: SBEM / Lei Direto / Ciber Saúde

obesidade_prevencao

2 de Outubro – Dia Mundial dos Animais de Fazenda – World Farm Animals Day

Dia 2 de Outubro é o Dia Mundial dos Animais de Fazenda em homenagem ao dia de nascimento de Mahatma Ghandi, que disse: “the greatness of a nation and its moral progress can be judged by the way in which its animals are treated.” (“A grandeza de uma nação e o seu progresso moral podem ser avaliados pela forma como os seus animais são tratados.”)

A diversidade dos animais de fazenda está ameaçada, e a principal responsável é a rápida expansão da pecuária industrial em grande escala, baseada em um reduzido número de raças, alertou a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Nos últimos sete anos se perdeu uma raça de gado doméstico por mês, segundo um estudo apresentado na Comissão de Recursos Genéticos para a Alimentação e a Agricultura da FAO.

World Farm Animals Day takes place on October 2nd, which honors the birthday of Mahatma Gandhi, an outspoken advocate of non-violence towards animals.

Each year, approximately 58 billion animals are killed in the world’s factory farms and slaughterhouses to produce meat, eggs, and dairy. World Farm Animals Day is dedicated to exposing, mourning, and memorializing the needless suffering and death of cows, pigs, turkeys, chickens, and other innocent, sentient animals raised and slaughtered for food.

Fonte: WFAD / Economia Último Segundo

animais-fazenda1

Published in: on 01/10/2013 at 00:26  Deixe um comentário  
Tags: , ,

8 de Agosto – Dia Nacional de Combate ao Colesterol

A ideia do Dia Nacional de Combate ao Colesterol surgiu no bojo da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), como uma forma de conscientizar a população sobre a importância do colesterol alto e as formas de prevenção. A data 8 de agosto foi oficializada pelo Poder Legislativo em 2002.

O colesterol é uma substância necessária ao nosso organismo, mas quando suas taxas no sangue se elevam, torna-se um perigoso fator de risco. O Colesterol é o resultado do metabolismo das gorduras saturadas com algumas subdivisões, sendo duas importantes: HDL, o bom colesterol, e LDL, o mau colesterol. O nível do LDL pode estar elevado por 2 fatores principais: o genético e a dieta. Consideramos o fator genético como o mais importante, porém dietas inadequadas também elevar o LDL colesterol.

A maior parte do colesterol é fabricada pelo próprio corpo, cerca de 70%, no fígado, enquanto que apenas 30% provém da alimentação. Existem pessoas que já nascem geneticamente destinadas a serem grandes produtoras dessa substância. O colesterol não tem nada a ver com excesso de peso, pois indivíduos magros podem ter níveis de colesterol alto.

O colesterol só existe nos alimentos de origem animal entre os mais ricos em gorduras saturadas temos: carnes, frutos do mar, miúdos, gema de ovo, leite e derivados, linguiça, salsicha, salame e presunto, enquanto os óleos e azeites comuns não têm colesterol.

Ele é fundamental para a vida porque faz parte da constituição da membrana celular (capa que reveste as células dos tecidos) e constitui-se em matéria prima para a fabricação da bile, dos hormônios e da vitamina D. Seu excesso é que o torna danoso. No sangue ele pode estar livre ou fazendo parte das chamadas lipoproteínas (aglomerado de colesterol, proteínas e gorduras que circulam pelas artérias e veias). O LDL é o que participa da formação das placas de gordura (aterosclerose) que obstruem as artérias.

Sua elevação é, portanto, indesejável e deve ser combatida. Já o colesterol contido nas lipoproteínas HDL, o bom colesterol, não participa do processo de obstrução das artérias e tem ainda um efeito protetor, porque retira o colesterol dos tecidos e o leva para o fígado onde é eliminado ou reaproveitado. Portanto, quanto mais HDL mais se evita a obstrução das artérias pela aterosclerose. Algumas dicas são úteis, alimentos funcionais elevam o colesterol bom diminuindo o ruim. Para reduzir o colesterol coma mais fibras, frutas com casca e verduras, cereais, grãos, aveia, alimentos integrais, soja, maçã. Não reaproveite o óleo já utilizado, elimine o consumo de maionese, preparações a base de coco, bolachas recheadas, alimentos cremosos.

Leia com atenção o rótulo dos alimentos e evite os que contêm gordura saturada e hidrogenada. Coma mais grelhado ou assado ou cozido de peixes, aves sem a pele e, porque não, alguma carne vermelha, porém evite frituras. Infelizmente comer ou beber limão, laranjada com berinjela e alho, não diminui a taxa do colesterol. Os derivados da uva são agora reconhecidos como alimentos que elevam o HDL, tanto o suco, como o vinho tinto (este não mais do que uma taça por dia). O valor ideal do HDL é acima de 40 mg/dl.

Os exercícios físicos não reduzem o LDL a níveis normais. É necessária alimentação saudável e medicamentos, o valor a ser alcançado é menos de 100 mg/dl para quem tiver tido alguma doença cardiovascular e menos que 130 mg/dl para os sadios. Pessoas que têm parentes diretos com colesterol alto e familiares com aterosclerose, devem conhecer os níveis do seu colesterol. Levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), em 20 cidades, incluindo São Paulo, constatou que 40% da população tem nível anormais (elevados) de colesterol total, entre 200 e 240 mg/dl. Pesquisas indicam que mesmo um pouco elevado não é seguro deixá-lo sem correção.

Fonte: Webrun / Nutrição em Pauta / Coração Saudável

colesterol

Obesidade já é considerada epidemia mundial

O mundo está mais gordo. Já faz tempo que a obesidade deixou de ser um problema meramente de ordem estética e foi alçado para a categoria de doença crônica. De acordo com os números da Organização Mundial da Saúde (OMS) são mais de um bilhão de adultos com excesso de peso no ano de 2000. Desse grupo, pelo menos 300 milhões são obesos contra 200 milhões em 1995.  A situação é tão alarmante que a doença já até ganhou status de epidemia. A estimativa é que em 2030 o mal aumente 70% nos Estados Unidos, 50% na Inglaterra e 30% no Brasil. Por aqui, uma pesquisa realizada pelo IBGE identificou que, pelo menos, 38 milhões de brasileiros são obesos. A ala masculina é a mais afetada, somando 41% dessa farta fatia da população.

Uma pesquisa realizada pelo Albert Einstein Medicina Diagnóstica com quatro mil executivos entre 2004 e 2006, revelou que 71% dos homens estavam acima do peso contra 26% das mulheres. Nenhuma faixa etária está livre do mal.

A obesidade infantil também já apresenta dimensões sinistras. Segundo a OMS, existem 17,6 milhões de crianças obesas no mundo inteiro com idade inferior a cinco anos.

A maior autoridade de saúde dos Estados Unidos, o Surgeon General afirma que desde 1980 o número de crianças obesas dobrou e o de adolescentes triplicou no país.

Embora o fator genético contribua para desenvolver esse mal, as principais causas da doença ainda recaem sobre o consumo crescente de comidas com alto valor calórico, ricas em gorduras saturadas e açúcares, além de atividade física reduzida, ou seja, sedentarismo.

A doença alcança três níveis de gravidade. O primeiro deles, tomando-se como base o IMC, quem está com mais de 15 quilos já é considerado obeso. Nesse caso, uma dieta orientada e exercícios praticados regularmente funcionam para aplacar a doença. O segundo estágio é a obesidade mórbida, que abrange as pessoas que se encontram com 30 quilos a mais. Esse grupo apresenta outras doenças e não emagrece o suficiente com tratamento. Já a superobesidade atinge pessoas que pesam 50 quilos extras e, muitas vezes, não saem mais da cama nem fazem tarefas simples, como amarrar os sapatos.

Um estudo publicado na revista científica BMC Public Health concluiu que os sobreviventes do acidente na usina nuclear de Chernobyl, em 1986, e das bombas atômicas que atingiram Hiroshima e Nagasaki, em 1945, sofrem consequências parecidas ou até menores dos que quem vivem em áreas poluídas, fuma ou é obeso.

Pessoas que fumaram a vida inteira podem ter dez anos a menos de vida por causa do vício, enquanto que obesos, aos 35 anos, em grau elevado (com um IMC acima de 40) podem morrer de quatro a dez anos antes. Já os sobreviventes das bombas atômicas do Japão, que estavam num raio de 1,5 km do epicentro da explosão, têm a expectativa de vida reduzida em 2,6 anos, em média.

A obesidade por si só desencadeia uma série de consequências nefastas ao organismo. Os casos mais graves que podem levar à morte estão distribuídos em quatro categorias: doenças cardiovasculares, doenças como o diabetes, associadas à resistência de insulina; certos tipos de câncer, como o de intestino, e doenças da vesícula biliar. A probabilidade de desenvolver hipertensão e diabetes aumenta sensivelmente quando o paciente engorda .

A OMS calcula que, aproximadamente, 90% das pessoas com diabetes tipo 2 são obesas ou têm excesso de peso. Ter um IMC acima do ideal contribui para cerca de 58% do diabetes, 21% das cardiopatias isquêmicas e entre 8% e 42% de determinados tipos de câncer, como os de mama, cólon, próstata, endométrio, rins e vesícula biliar.

No rol dos problemas de saúde considerados não fatais estão os problemas respiratórios, musculares e esqueléticos crônicos, doenças de pele, depressão e infertilidade. Nas mulheres, o excesso de gordura na barriga pode provocar o surgimento de ovários micropolicísticos, principal causa de baixa fertilidade. O IMC elevado também colabora para o aparecimento da osteoartrite ou artrose, principal causa para a incapacitação dos adultos.

A doença promove um desgaste das cartilagens que ficam entre os ossos e que serviam para protegê-los do atrito natural. As principais regiões afetadas são as articulações da coluna vertebral, dos joelhos e das mãos. Os sintomas incluem dor ao subir ou descer escada, rigidez e dor na virilha.

Fonte : Minha Vida

Published in: on 09/10/2012 at 13:01  Comments (1)  
Tags: , , , , , , , , , ,

Alotriofagia

A alotriofagia, também conhecida como Síndrome de Pica, é uma rara condição dos seres humanos, e se caracteriza por um apetite por substâncias não nutritivas, como terra, carvão ou tecidos. Para ser considerado um caso de alotriofagia, essa condição deve persistir por mais de um mês, em uma idade em que comer certos objetos seja considerado mentalmente inapropriado. Existem diferentes cariações da alotriofagia, que podem ser desde uma mera tradição cultural, um gosto particular ou um mecanismo neurológico que indica a deficiência de elementos, como ferro, ou algum outro desequilíbrio no organismo.

O termo “pica” vem da palavra em latim para o pássaro pega-rabuda (também conhecido como pica pica). Esse é um pássaro conhecido por comer praticamente tudo. No sul dos Estados Unidos, nos anos 1800, a geofagia era uma prática comum entre a população escrava. Pesquisas sobre distúrbios alimentares no século XVI sugeriam que a alotriofagia era considerada um sintoma de outra condição clínica, ao invés de ser a própria condição clínica.

Essa condição pode facilmente levar crianças à intoxicação, que pode resultar em importantes prejuízos no desenvolvimento físico e mental. Além disso, essa situação pode resultar em cirurgias emergenciais, devido à obstrução intestinal, além de sintomas mais sutis como deficiências nutricionais e casos de parasitoses. A alotriofagia tem sido constantemente associada a problemas mental que muitas vezes tenham consequências psicóticas. Desencadeadores de estresse, como a orfandade, severos problemas familiares, negligência dos pais, gravidez ligada à insuficiência de nutrientes e uma estrutura familiar transtornada estão fortemente ligados alotriofagia.

A alotriofagia possui subdivisões para cada tipo de material consumido pelo indivíduo, as condições mais conhecidas são: Amilofagia – consumo excessivo de amido; Acufagia – consumo de objetos pontiagudos; Coprofagia – consumo de fezes; Emetofagia – consumo de vômito; Geofagia – consumo de terra; Hematofagia – consumo de sangue; Hialofagia – consumo de vidro; Lithofagia  – comer pedras; Trichofagia – comer cabelo; Urofagia – ingerir urina; Xilofagia – comer madeira.

Algumas outras situações famosas estão as de ingerir tinta, e até o canibalismo. Deve-se notar, que a condição só deve ser tratada como alotriofagia, se o consumo desses materiais se prolongar por mais de um mês. Entretanto, não há um exame específico que possa diagnosticar a alotriofagia. Como essa condição, em muitas vezes dos casos, pode ser associada a má ou baixa nutrição, o médico, ou outro prestador do serviço de saúde, deve fazer exames de sangue, para conferir os níveis de ferro e zinco do paciente. Deve-se, também, realizar medições da hemoglobina, para testes de anemia. Por precaução, as crianças precisam checar os níveis de chumbo, principalmente se ingeriram tinta, ou materiais cobertos por tinta. O médico também deve procurar indícios de infecções ou parasitas, caso o paciente tenha ingerido solo contaminado, ou restos de animais. Em indivíduos com diagnósticos confirmados de autismo, esquizofrenia, e alguns tipos de desordens físicas, como a Síndrome de Kleine-Levin, substâncias estranhas e não nutritivas podem ser consumidas, mas nesses casos, a alotriofagia não deve ser considerada como um diagnóstico adicional.

O tratamento da alotriofagia pode variar de paciente para paciente, principalmente por que se deve levar em contra a causa suspeita, como deficientes mentais, grávidas ou psicóticos, e pode ser relacionado a tratamentos psicológicos, mudanças ambientais, reestruturação familiar, ou um simples tratamento com suplementos vitamínicos e mudanças na dieta. Se a causa for psicótica, o tratamento envolverá terapias e o uso de medicamentos como o SSRI (inibidor seletivo de recaptação de serotonina).

Uma americana de 45 anos tem um costume um tanto quanto estranho: ela come pedras. Há mais de 20 anos Teresa Widener degusta pedrinhas do chão e faz delas uma espécie de lanchinho. A senhora, que mora em Bedford, no Estado da Virginia, contou que primeiro chupa as pedras, como se fossem doces, e depois as mastiga. Para a história ficar ainda mais bizarra, ela disse que, em muitas vezes, nem lava as pedras, pois acha que a sujeira destaca o sabor delas. Se as pedras são grandes, Teresa as tritura com um martelo para depois apreciá-las.

Fonte:  InfoEscola / Yahoo

 

Published in: on 20/08/2012 at 01:51  Deixe um comentário  
Tags: , ,

Oito Alimentos Para os Músculos

Uma das mais recentes boas novas na área de nutrição, divulgadas pela Universidade de Connecticut, EUA, lista oito alimentos de peso para aumentar a massa muscular. A genética ajuda. Quem tem uma combinação ideal de genes responsáveis pelo aumento das fibras musculares não precisa se esfalfar na academia. Para quem não tem essa vantagem, o conselho é buscar reforço numa dieta adequada. Setenta por cento da massa muscular resulta da alimentação e do descanso, enquanto os outros 30% vêm dos exercícios de força.

1) ovo, com gema: a proteína perfeita – O ovo é o alimento com o mais alto valor biológico. É verdade que a proteína da carne é mais eficiente para a construção muscular. Mas a gema, além da proteína, contém a vitamina B12, necessária para diminuir os níveis de gordura e ajudar na contração muscular. Consumir ovos com gema, sem medo, mas não fritos, porque cada um tem 120 calorias. Embora a gema ainda tenha a má fama de aumentar o teor de colesterol do sangue, é a maior fonte conhecida de colina, substância que ajuda a dissolver essa gordura nas artérias.

2) iogurte: porção de ouro – O iogurte tem aminoácidos essenciais em altas porcentagens. Esse alimento é decisivo no crescimento muscular, porque combina proteína e carboidrato em doses ideais. Um copo fornece 10% da nossa necessidade diária de proteína. A versão com frutas é ainda melhor, porque aumenta os níveis de insulina, uma das chaves para reduzir a perda protéica que costuma acontecer após o exercício. É uma boa fonte de cálcio, mineral importante para a contração muscular. Tomar um ou dois potes de iogurte diariamente. Sem açúcar ou adoçante é melhor, porque esses ingredientes diminuem a ação dos lactobacilos e também o teor de vitaminas do complexo B.

3) salmão: combustível do crescimento – Altamente protéico, tem grandes quantidades de ômega-3, uma gordura que ajuda na recuperação da massa muscular. Devido à ação antiinflamatória, permite a assimilação de novas proteínas pelas fibras. Consumir três vezes por semana, mas lembre-se: uma posta ou um filé médio de salmão tem 150 calorias. Para melhor aproveitar os nutrientes, prepare o peixe em baixa temperatura e evite cozinhar demais.

4) carne vermelha: rainha da creatina – Esse aminoácido é produzido no fígado e nos rins. Sem ele, não há energia. As carnes, principalmente a vermelha, são o alimento número 1 em quantidade de creatina, essencial para a construção muscular. Mais: contêm ferro, zinco, niacina (vitamina B3) e vitamina B12 – nutrientes cruciais para quem quer resultados. A carne vermelha deve ser consumida de duas a três vezes por semana. Um bife médio de carne magra tem de 150 a 200 calorias e não compromete a dieta.

5) azeite de oliva: o líquido da energia – A gordura monoinsaturada ômega-9 tem ação anticatabólica, ou seja, age contra inflamações, que provocam o desgaste e a fraqueza muscular. Usar de uma a duas colheres de sopa por dia, em saladas e também para cozinhar. Lembre-se, porém, de que cada colher conta 110 calorias.

6) amêndoas: remédio para a massa muscular – Elas são uma das maiores fontes da vitamina E alfatocoferol, a forma mais bem absorvida pelo corpo e um potente antioxidante, que pode ajudar a prevenir os danos provocados pelos radicais livres após o treino. E quanto menos agressões praticadas pelos radicais livres, mais rapidamente seus músculos vão se recuperar. Consumir 15 unidades por dia, no lanche ou na salada. Já que dão saciedade, comer cinco amêndoas antes do almoço e outras cinco antes do jantar pode aplacar a fome.

7) água: um banho de força – Oitenta por cento da massa muscular é composta de água. Mesmo uma diminuição tão pequena quanto 2%, por transpiração ou falta de ingestão, pode prejudicar a performance. Um estudo realizado na Alemanha dá conta de que quanto mais desidratado seu corpo estiver, mais lentamente ele vai utilizar a proteína para construir músculos. A perda excessiva de água reduz o consumo máximo de oxigênio, fator importante no desempenho físico. Um músculo com apenas 3% de desidratação, por exemplo, tem uma perda de 10% na força de contração e de 8% na velocidade de reação. Quando o músculo está desidratado, o cansaço chega rápido. Mesmo em repouso durante 24 horas, você perde 1 litro de água – 400 ml pela respiração e 600 ml através da pele. Ao se exercitar, essa perda aumenta. Por isso, beba água antes, durante e depois do exercício. O ideal é beber pequenos goles a cada 10 minutos. Se você esperar ficar com a boca seca, seus músculos já estarão sofrendo com a falta de água. A glicose (um derivado do carboidrato também necessário para o ganho de massa muscular) só é incorporada ao músculo na presença de água. Para cada grama de glicose armazenada no músculo e no fígado, são necessários 3 miligramas de água. Variar a quantidade de acordo com o clima e o treino. Para saber se você está ingerindo o necessário, observe a cor da urina. Quanto mais clara, mais bem hidratado está o organismo.

8) café: estimulante imbatível – Para ter mais gás durante o exercício anaeróbico (que não usa o oxigênio), caso da musculação, o cafezinho é tiro e queda. A cafeína é uma substância ergogênica, ou seja, melhora o desempenho, a concentração e a disposição para malhar. Além disso, o café aumenta o uso de gordura corporal para gerar energia. Beber de 30 a 60 minutos antes da atividade. Pode tomar até dois cafés expressos ou, então, pedir ao seu médico que receite uma fórmula em cápsula. Para quem sofre de úlcera ou algum tipo de doença cardíaca, a bebida é desaconselhada. Mesmo quem é saudável pode ter distúrbios como arritmias, gastrite, insônia e irritabilidade se ingerir a bebida em excesso. O excesso de cafeína do mate ou do chá verde pode alterar a absorção de minerais e vitaminas.

Fonte: Web Point Club

Published in: on 01/03/2012 at 13:38  Comments (1)  
Tags: , , ,