16 de Novembro – Dia Nacional de Atenção à Dislexia

Dia instituído pelo Projeto de Lei número 929/07. O dia 16 de novembro foi escolhido em homenagem à APD (Associação Paulista de Dislexia) e às demais associações existentes no Brasil que desenvolvem importante trabalho na orientação, apoio e tratamento da dislexia.

A dislexia caracteriza-se por uma dificuldade na área da leitura, escrita e soletração. A dislexia costuma ser identificada nas salas de aula durante a alfabetização sendo comum provocar uma defasagem inicial de aprendizado.

A dislexia é mais frequentemente caracterizada pela dificuldade na aprendizagem da decodificação das palavras, na leitura precisa e fluente e na fala. Pessoas disléxicas apresentam dificuldades na associação do som à letra (o princípio do alfabeto); também costumam trocar letras, por exemplo, b com d, ou mesmo escrevê-las na ordem inversa, por exemplo, “ovóv” para vovó.

A dislexia, contudo, não é um problema visual, envolvendo o processamento da fala e escrita no cérebro, sendo comum também confundir a direita com a esquerda no sentido espacial. Esses sintomas podem coexistir ou mesmo confundir-se com características de vários outros fatores de dificuldade de aprendizagem, tais como o déficit de atenção/hiperatividade, dispraxia, discalculia, e/ou disgrafia. Contudo, a dislexia e as desordens do déficit de atenção e hiperatividade não estão correlacionados com problemas de desenvolvimento.

Identificada pela primeira vez por BERKLAN em 1881, o termo “dislexia” foi cunhado em 1887 por Rudolf Berlin, um oftalmologista de Stuttgart, Alemanha. Ele usou o termo para se referir a um jovem que apresentava grande dificuldade no aprendizado da leitura e escrita ao mesmo tempo em que apresentava habilidades intelectuais normais em todos os outros aspectos.

Em 1896, W. Pringle Morgan, um físico britânico de Seaford, Inglaterra, publicou uma descrição de uma desordem específica de aprendizado na leitura no British Medical Journal, intitulado “Congenital Word Blindness”. O artigo descreve o caso de um menino de 14 anos de idade que não havia aprendido a ler, demonstrando, contudo, inteligência normal e que realizava todas as atividades comuns de uma criança dessa idade.

Um dos primeiros pesquisadores principais a estudar a dislexia foi Samuel T. Orton, um neurologista que trabalhou inicialmente em vítimas de traumatismos. Em 1925 Orton conheceu o caso de um menino que não conseguia ler e que apresentava sintomas parecidos aos de algumas vítimas de traumatismo. Orton estudou as dificuldades de leitura e concluiu que havia uma síndrome não correlacionada a traumatismos neurológicos que provocava a dificuldade no aprendizado da leitura. Orton chamou essa condição por strephosymbolia (com o significado de “símbolos trocados”) para descrever sua teoria a respeito de indivíduos com dislexia. Orton observou também que a dificuldade em leitura da dislexia aparentemente não estava correlacionada com dificuldades estritamente visuais. Ele acreditava que essa condição era causada por uma falha na laterização do cérebro. A hipótese referente à especialização dos hemisférios cerebrais de Orton foi alvo de novos estudos póstumos na década de 1980 e 1990, estabelecendo que o lado esquerdo do planum temporale,uma região cerebral associada ao processamento da linguagem é fisicamente maior que a região direita nos cérebros de pessoas não disléxicas; nas pessoas disléxicas, contudo, essas regiões são simétricas ou mesmo ligeiramente maior no lado direito do cérebro.

Pesquisadores estão atualmente buscando uma correlação neurológica e genética para a dificuldade em leitura.

Fonte: CCJ da Câmara / Wikipédia

dislexia

Published in: on 02/11/2016 at 23:33  Deixe um comentário  
Tags: , ,

10 de Outubro – Dia Nacional Dedicado à Segurança e Saúde nas Escolas

A Lei Federal nº 12.645 de 16 de maio de 2012 instituiu 10 de Outubro como o Dia Nacional da Segurança e Saúde nas Escolas, ou seja, estabeleceu um dia a ser dedicado ao tratamento dessa temática no ambiente escolar. Tradicionalmente, as expressões segurança e saúde vêm sendo empregadas em conjunto para designar uma problemática associada ao mundo do trabalho, com pouca inserção na realidade escolar. Cada vez mais, no entanto, percebe-se que o desafio de promover a segurança e a saúde dos trabalhadores precisa ganhar novas dimensões e ser estendido a outros agentes, uma vez que as ações convencionais não estão conseguindo promover suficientemente a saúde e a segurança dos trabalhadores.

Escola também é um lugar para pensarmos em segurança e saúde!

Fonte:  Ministério da Educação / Fundacentro

seguranca-e-saude-na-escola

 

Published in: on 29/09/2016 at 23:57  Deixe um comentário  
Tags: , , ,

5 de Outubro – Dia Mundial dos Professores – World Teachers’Day

O Dia Mundial dos Professores, celebrado anualmente no dia 5 de outubro, é a ocasião para comemorar a profissão, cujo papel na educação de jovens e adultos permanece essencial.

A falta de professores qualificados permanece um problema crucial. A UNESCO estima que mais 18 milhões de professores são necessários para que a meta de Educação Primária Universal (EPU) seja atingida até 2015. Essa carência é especialmente aguda na África, onde mais 3,8 milhões de professores são necessários para que a EPU seja atingida. A falta de professores em países como Ruanda e Moçambique significa que salas de aula podem chegar a 60 alunos. É geralmente reconhecido que educação de qualidade não pode ser oferecida em salas de aula com mais do que 40 alunos.

A quantidade não é o único problema e o treinamento insuficiente é outra deficiência séria. Em países em desenvolvimento, segundo o Instituto de Estatísticas da UNESCO, é comum o registro de professores que não possuem educação avançada. Para melhorar a situação, somente políticas coerentes podem promover a contratação de professores em números suficientes e, com isso, garantir seu status e assegurar um treinamento de qualidade.

O Dia Mundial dos Professores enfatiza a importância das Recomendações de 1966 da OIT/UNESCO em relação ao Status dos Professores. Outra recomendação referente ao Status de Professores da Educação Superior foi adotada em 1997. Ambas estabeleceram diretrizes que norteiam a formação e as condições de trabalho dos professores, a participação deles e de seus representantes em decisões educacionais e as medidas que devem ser tomadas em cada país para a qualificação de profissionais e de ambientes de aprendizagem. Estes dois textos são os únicos instrumentos normativos de seu gênero existentes em nível internacional.

World Teachers’ Day, held annually on October 5th since 1994, commemorates teachers’ organizations worldwide. Its aim is to mobilise support for teachers and to ensure that the needs of future generations will continue to be met by teachers.

According to UNESCO, World Teachers’ Day represents a significant token of the awareness, understanding and appreciation displayed for the vital contribution that teachers make to education and development.

Education International (EI) (the global union federation that represents education professionals worldwide) strongly believes that World Teachers’ Day should be internationally recognized and celebrated around the world. EI also believes that the principles of the 1966 and 1997 Recommendations should be considered for implementation in all nations.

Over 100 countries observe World Teachers’ Day. The efforts of Education International and its 401 member organisations have contributed to this widely spread recognition. Every year, EI launches a public awareness campaign to highlight the contributions of the teaching profession.

Fonte: UNESCO Brasil / Wikipédia

prof_mund2

20 de Maio – Dia Nacional do Pedagogo

Em 20 de maio é celebrado o Dia Nacional do Pedagogo. A data foi instituída em 2010 para comemorar a importância desse profissional. Ele desenvolve atividades voltadas para as pré-escolas, ensino fundamental e empresas.

O graduado em Pedagogia pode atuar como professor em escolas de Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental, em cursos de formação de professores em Nível Médio e em outras instituições educacionais que atendam crianças, jovens ou adultos. Pode também trabalhar com alunos que apresentam necessidades educativas especiais em processo de inclusão.

Atua também como Gestor Escolar, Assessor Pedagógico, Membro de Equipe Multidisciplinar e em Projetos Sociais como Educador ou Coordenador.

Acadêmicos de Pedagogia participam e atuam em vários projetos de ensino, pesquisa e extensão, esses profissionais atuam na promoção da aprendizagem. Eles têm a função de planejar, coordenar, executar, acompanhar e avaliar tarefas próprias da área educacional, por isso é tão importante comemorar tal dia.

Fonte: Fatos e Fotos

pedagogo3

Autorretrato e porta-retrato: regras diferentes

Em tempos de reforma ortográfica, muita gente pensa que as alterações foram bem mais abrangentes do que realmente foram. Há quem não compreenda por que “autorretrato” passa a ser escrito com “rr” e “porta-retrato” continua com hífen.

Esse tipo de confusão se desfaz quando a pessoa olha o que deve ser olhado: o início da palavra. “Auto-” é um prefixo, “porta-” é uma forma do verbo “portar”. Os prefixos terminados em vogal unem-se, agora sem hífen, aos termos iniciados por “r” mediante a duplicação dessa consoante.

A regra, porém, não se estende a substantivos compostos, que têm dois ou mais radicais. Assim, “porta-retrato” continua com hífen, como a maioria dos demais compostos iniciados por verbo (“porta-bandeira”, “abre-alas”, “lança-perfume”, “arranca-rabo”, “arrasta-pé” etc).

A maioria requer o hífen, mas há exceções, já consagradas pelo uso. É o caso de “girassol”, “passatempo” e agora, com a reforma, “mandachuva” e, ao que tudo indica, “vagalume”. De modo geral, entretanto, emprega-se o hífen nos compostos formados de verbo seguido de substantivo (“porta-luvas”, “para-brisa”, “pica-pau”, “beija-flor”, “saca-rolha”, “mata-burro”, “borra-botas” etc).

Fonte: Dicas de Português UOL Educação Por Thaís Nicoleti

novo-acordo

Published in: on 01/04/2014 at 11:09  Deixe um comentário  
Tags: , , ,

27 de Fevereiro – Dia Nacional do Livro Didático

Dia 27 de fevereiro é o dia nacional do livro didático. O programa do livro didático foi criado em 1938 no governo Vargas. Até esse período (décadas de 1920 e 1930) a produção de livros didáticos no Brasil era tímida. Muitos dos livros didáticos vinham de outros países e eram traduzidos sem levar em consideração a realidade nacional. O objetivo do livro didático é levar o conhecimento sistematizado ao aluno, organizar pedagogicamente o trabalho discente e, em muitos casos, ajudar o professor a encaminhar as aulas pelo fato de ser o único material de acesso discente.

Muitas vezes, o livro didático é a única forma de acesso da criança à leitura e à cultura letrada. Suas principais funções são transmitir conhecimentos, desenvolver capacidades e competências, consolidar e avaliar o conteúdo estudado. Recurso didático fundamental, sua distribuição gratuita aos estudantes da rede pública é assegurada pelo Estado.

Em 1929, foi criado o Instituto Nacional do Livro, com o objetivo de legitimar o livro didático e auxiliar no aumento de sua produção. No entanto, essa política passou por muitas mudanças até resultar na criação do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), em 1985.

A partir daquele ano, o professor da escola pública passou a escolher o livro mais adequado aos seus alunos e ao projeto pedagógico da escola, a partir de uma pré-seleção do MEC. A reutilização do livro e a introdução de normas de qualidade foram outros importantes avanços.

Com o amadurecimento desse processo, a produção e a distribuição de livros didáticos tornaram-se contínuas e massivas a partir de 1997.

Hoje, o governo federal envia livros didáticos aos alunos do ensino fundamental e tem aumentado a oferta de obras de literatura, dicionários e até mesmo de livros em braile (para os deficientes visuais) e em libras (para os deficientes auditivos).

Também tem sido crescente, nos últimos anos, a distribuição de obras didáticas aos alunos do ensino médio e aos programas de alfabetização de jovens e adultos.

Fonte: Ministério da Educação

livro_didatico2

14 de Novembro – Dia Nacional da Alfabetização

O Dia Nacional da Alfabetização foi instituído pelo decreto número 59.452, de 03/11/1966, assinado pelo presidente Castello Branco. A data 14 de novembro foi escolhida em homenagem a data do decreto que criou o ministério da Educação e Cultura. Em 1968, o presidente Costa e Silva assinou outro decreto, que conservou o dia da comemoração, mas alterou dispositivos para efetuá-la.

A alfabetização consiste no aprendizado do alfabeto e de sua utilização como código de comunicação. De um modo mais abrangente, a alfabetização é definida como um processo no qual o indivíduo constrói a gramática e suas variações. Esse processo não se resume apenas na aquisição dessas habilidades mecânicas (codificação e decodificação) do ato de ler, mas na capacidade de interpretar, compreender, criticar, resignificar e produzir conhecimento. A alfabetização envolve também o desenvolvimento de novas formas de compreensão e uso da linguagem de uma maneira geral. A alfabetização de um indivíduo promove sua socialização, já que possibilita o estabelecimento de novos tipos de trocas simbólicas com outros indivíduos, acesso a bens culturais e a facilidades oferecidas pelas instituições sociais.

Segundo pesquisa do IBGE de 2007, o Brasil possui cerca de 14 milhões de analfabetos entre pessoas com 15 anos de idade ou mais. Apesar do número preocupante, houve uma redução de 4,7% na taxa de analfabetismo dessa faixa etária, em relação ao ano de 1997. O Nordeste é a região com mais dificuldades na área, pois dos 14 milhões de cidadãos citados acima, 52% estão nessa região.

A pesquisa mostra também que o analfabetismo está diretamente ligado ao rendimento familiar, consideravelmente menor dentro de um grupo onde ele está presente. No campo, as estatísticas também preocupam. Com uma taxa de analfabetismo de 23,3%, quase três vezes maior do que na cidade, a zona rural ainda carece de políticas públicas que incentivem e promovam uma educação de qualidade.

Entre as crianças de 7 a 14 anos de idade, faixa etária que corresponde ao Ensino Fundamental, a grande maioria (97,6%) frequenta a escola . Esse número, no entanto, não significa qualidade do ensino, pois, ainda segundo a pesquisa, 2,1 milhões de crianças nessa idade que estão na escola não sabem ler e escrever.

Para acabar com o problema, especialistas defendem o aumento da qualidade na educação básica que cada cidadão deve receber durante a infância. Mais do que manter a frequência das crianças na escola é preciso que elas estejam aprendendo o conteúdo estipulado sem atrasos ou defasagens. No futuro, a qualidade do ensino se refletirá no aumento de possibilidades no mercado de trabalho e na capacidade de maior participação e envolvimento social.

Para quem não é mais criança, a solução pode estar nos programas de alfabetização e educação para jovens e adultos , frequentados, segundo o IBGE, por mais de 2,6 milhões de pessoas. O número ainda pode melhorar, mas já é um avanço. Nunca é tarde para estar em dia com a educação.

Fonte: Quiosque Azul / Jornal Cidade / TeleListas

alfa3

Published in: on 13/11/2013 at 01:44  Deixe um comentário  
Tags: , , ,

15 de Outubro – Dia do Professor

Em 1963, o Decreto Federal número 52.682 oficializou o 15 de outubro como o Dia do Professor. No Brasil, segundo o Ministério da Educação, existem cerca de 1,5 milhão de professores.

Este número, tão expressivo, dá bem a dimensão da importância desta profissão. Ainda assim, ela não tem a devida valorização. A cada ano vemos se repetirem as campanhas por reajustes salariais, reposição de perdas, melhores condições de trabalho e outras reivindicações.

Todas justas, se considerarmos que os professores são fundamentais para a construção de uma sociedade mais justa e solidária. Mais do que transmitir conhecimentos, os professores transmitem valores, ajudam a formar cidadãos e seres humanos éticos e dignos. Eles plantam a semente de um amanhã melhor.

Fonte: Paulínia em Foco

1746

Published in: on 12/10/2013 at 22:51  Deixe um comentário  
Tags: , , , ,

8 de Setembro – Dia Internacional da Alfabetização – International Literacy Day

O dia 8 de setembro foi estabelecido pelas Nações Unidas como o Dia Internacional da Alfabetização.  Para o Brasil, tal data nos faz recordar aquilo que podemos verificar no cotidiano desse país: o grande número de jovens e adultos que não sabem ler nem escrever, ou o fazem de maneira precária, com dificuldades. O número de analfabetos gira em torno de 10 % da população com mais de 15 anos (14 milhões de pessoas), e os que enfrentam dificuldades, aqueles que leem ou escrevem um pouquinho, como se costuma dizer, atingem 22% (30 milhões de pessoas). São quase 35 milhões de jovens e adultos que não tem o domínio deste importantíssimo instrumento de inserção social.

Apesar do Ensino Fundamental – hoje de 9 anos – ser um direito constitucional de qualquer pessoa, e portanto um dever do Estado em ofertá-la, nossa população tem apenas 7,2 anos de estudo em média. Média enganosa é verdade, pois alguns poucos tem seus estudos completados no ensino superior e até em pós-graduação e uma grande maioria não conseguiu completar a sua escolaridade básica. E entre esta grande maioria ainda há muita desigualdade, pois os brancos tem mais escolaridade média que os negros e as populações indígenas, os que estão na zona urbana tem mais escolaridade que os da zona rural, os que vivem na região sul tem mais acesso que aqueles que estão no norte ou no nordeste.

A alfabetização consiste no aprendizado do alfabeto e de sua utilização como código de comunicação. A alfabetização de um indivíduo promove sua socialização, já que possibilita o estabelecimento de novos tipos de trocas simbólicas com outros indivíduos, acesso a bens culturais e a facilidades oferecidas pelas instituições sociais. A alfabetização é um fator propulsor do exercício consciente da cidadania e do desenvolvimento da sociedade como um todo.

A alfabetização é um forte instrumento de inclusão social e é um fator determinante de mudança e um instrumento prático de poder no que respeita às três vertentes principais do desenvolvimento sustentável: o desenvolvimento econômico, o desenvolvimento social e a proteção do ambiente.

A experiência e os estudos efetuados mostram que a alfabetização pode ter um papel essencial na erradicação da pobreza, no aumento das possibilidades de emprego, na promoção da igualdade entre os sexos, na melhora da saúde familiar, na proteção do ambiente e na promoção da participação democrática. Um meio familiar alfabetizado favorece muito o desenvolvimento da criança, tendo um impacto positivo na duração da escolarização das moças e dos rapazes, bem como no modo como adquirem os conhecimentos.

Durante os últimos anos, numerosos programas de alfabetização foram mais claramente orientados para as necessidades locais, especialmente privilegiando o desenvolvimento comunitário e a proteção do ambiente. Essas abordagens procuram enriquecer os cursos de alfabetização, ultrapassando as funções básicas da leitura e da escrita para incluírem competências da vida diária e o conteúdo correspondente.

Tal como a aprendizagem ao longo da vida, a alfabetização está no centro do desenvolvimento sustentável. Contudo, estima-se que, atualmente, o número de analfabetos ronde os 800 milhões de adultos, dos quais cerca de dois terços são mulheres. Calcula-se ainda que mais de 100 milhões de crianças não frequentem a escola. É evidente que o apoio dado à alfabetização está ainda longe de responder às necessidades existentes.

September 8 was proclaimed International Literacy Day by UNESCO on November 17, 1965. It was first celebrated in 1966. Its aim is to highlight the importance of literacy to individuals, communities and societies. On International Literacy Day each year, UNESCO reminds the international community of the status of literacy and adult learning globally. Celebrations take place around the world.

Some 776 million adults lack minimum literacy skills; one in five adults is still not literate and two-thirds of them are women; 75 million children are out-of-school and many more attend irregularly or drop out.

Fonte: Ação Educativa / Jornal Ponto Final / Wikipédia

alfabetização

1º de Setembro – Dia do Profissional de Educação Física

Atualmente o Brasil tem aproximadamente 38 mil profissionais registrados junto aos Conselhos Regionais de Educação Física, comprometidos com as novas responsabilidades éticas e profissionais decorrentes da regulamentação  da profissão.

O projeto de regulamentação da profissão foi aprovado em 1º de setembro de 1998, tornando-se a Lei número 9.696/98. O presidente Luis Inácio Lula da Silva sancionou a Lei número 11.342, de 18 de agosto de 2006, que institui o dia 1° de Setembro como o Dia do Profissional de Educação Física.

O Profissional de Educação Física vem ampliando e ocupando maior espaço no contexto da nossa sociedade.  As escolas, academias, clubes esportivos, centros de lazer e recreação e as empresas são instituições que vem acolhendo o profissional focado em evoluir, buscando sempre corresponder às necessidades atuais e futuras da sociedade em que está inserido.

No ambiente escolar, evidencia-se cada vez mais a atuação de educadores, então professores de Educação Física, que lutam incessantemente para que a EF seja reconhecida como área de conhecimento dentro da escola, e não somente atividade desvinculada de qualquer contexto educacional ou projeto pedagógico.

Fonte : Metrocamp

educacao_fisica