28 de Setembro – Dia do Hidrógrafo

É uma homenagem a Manuel Antonio Vital de Oliveira, patrono da hidrografia, nascido no dia 28 de setembro de 1829, em Recife (PE). Ele ingressou na Marinha em 1843 e, entre 1857 e 1862, no comando do iate Parahybano, fez o primeiro levantamento hidrográfico importante entre a foz do Rio Mossoró e a do Rio São Francisco. Também foi responsável pela Carta Geral da Costa Brasileira, a pedido do governo imperial. Oliveira participou dos combates da Guerra do Paraguai e foi mortalmente ferido no dia 2 de fevereiro de 1867.

Hidrógrafo é o nome dado ao profissional que atua na área de hidrografia ou hidrologia.

Hidrografia é uma parte da geografia física que classifica e estuda as águas do planeta. O objeto de estudo da hidrografia é a água da Terra, abrange portanto oceanos, mares, geleiras, água do subsolo, lagos, água da atmosfera e rios. A maior parte da água está concentrada em oceanos e mares – 1.380.000.000 km³ –, correspondendo a 97,3% da reserva hídrica do mundo. As águas continentais possuem um volume total de 38.000.000 km³, valor que representa 2,7% da água do planeta.

Fonte: Livro A Origem de Datas e Festas de Marcelo Duarte / Wikipédia

hidrografo-dia

 

Anúncios
Published in: on 12/09/2016 at 00:32  Deixe um comentário  
Tags: , ,

2 de Fevereiro – Dia Mundial das Zonas Úmidas – World Wetlands Day

A Convenção sobre Zonas Úmidas de Importância Internacional ou como é mais conhecida, a Convenção de Ramsar, iniciou a campanha de comemoração deste dia em 1997 como uma oportunidade de chamar atenção do público sobre os valores e funções das áreas úmidas (pântanos, mangues, marismas, banhados, etc). O dia 2 de fevereiro marca a assinatura do tratado na cidade de Ramsar, no Irã, em 1971.

Zona Úmida é toda superfície coberta por água, de forma permanente ou temporária, com água parada ou corrente, doce, salobra ou salgada. No caso das áreas marinhas, são consideradas como Zonas Úmidas aquelas que tenham profundidade menor que seis metros na maré baixa. Estão incluídos os charcos, mangues, pântanos, rios, estuários e águas costeiras de pouca profundidade espalhadas por todo o mundo, com exceção da Antártida. Essas áreas são consideradas como celeiros naturais de biodiversidade, armazéns naturais de diversidade biológica e exercem um papel importante para a estabilidade climática e algumas delas são as mais produtivas do mundo.

O Pantanal abriga uma fauna e uma flora consideráveis em variedade e abundância. Pouco povoada, a maior zona úmida do mundo conservou seus recursos naturais graças particularmente à pecuária, muito extensiva na região. Mas a monoprodução de gado encontra dificuldades econômicas que induzem uma transformação das formas de exploração, afetam o equilíbrio entre as atividades humanas e o meio e ameaçam a biodiversidade.

2 February each year is World Wetlands Day. It marks the date of the signing of the Convention on Wetlands on 2 February 1971, in the Iranian city of Ramsar on the shores of the Caspian Sea. WWD was celebrated for the first time in 1997 and made an encouraging beginning. Each year, government agencies, non-governmental organizations, and groups of citizens at all levels of the community have taken advantage of the opportunity to undertake actions aimed at raising public awareness of wetland values and benefits in general and the Ramsar Convention in particular.

2014 is the UN International Year of Family Farming – so the Ramsar Convention chose Wetlands & Agriculture as the World Wetlands Day theme for 2014. And what a great theme for Ramsar, given that wetlands are so often intimately linked with agriculture. Our slogan? Wetlands and Agriculture: Partners for Growth, placing a focus on the need for the wetland and agricultural sectors (and the water sector too of course) to work together for the best shared outcomes.

Fonte: Verbeat / AFNF / Ramsar

untitled

28 de Julho – Dia Mundial da Conservação da Natureza – World Nature Conservation Day

O Dia Mundial da Conservação da Natureza foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas e comemora-se a 28 de julho. Este dia tem como objetivo chamar a atenção para os problemas da conservação da Natureza.

Algumas regras para conservar a natureza:

1. Não jogar lixo nas ruas. O lixo entope os bueiros, atraindo ratos e baratas, diminuindo a vazão das águas pluviais, o que aumenta o risco de enchentes, torna a cidade suja, causa mau cheiro, etc. Jogue lixo na lixeira.

2. Não destruir as árvores urbanas, pois estas amenizam o calor, facilitando o tráfego de pessoas, dão abrigo aos pássaros e embelezam a cidade.

3. Evitar ao máximo utilizar produtos descartáveis.

4. Reutilizar tudo o que puder: plásticos, latas, garrafas, etc.

5. O turismo predatório é um dos grandes responsáveis pela poluição do meio ambiente. Não jogue lixo nas praias, lagos e parques. O campista deve sempre enterrar o lixo do acampamento.

6. Nunca jogue cigarro aceso pela janela do carro ou mesmo quando estiver caminhando pelo mato. Na seca isso poderá causar incêndios. Quando a vegetação é queimada, o solo empobrece, milhares de animais são mortos, o clima altera a paisagem.

7. Não se omita frente a degradação do meio ambiente. Denuncie aos órgãos competentes os atos de degradação ambiental, e exija também do Estado uma ação efetiva de proteção ambiental.

8. A conservação do meio ambiente é responsabilidade de todos, pois todos nós fazemos parte da Natureza Mãe.

The United Nations proclaimed July 28 the World Nature Conservation Day.

Fonte: UN / Wikipédia / Língua Pátria

conservacao_natureza

Published in: on 26/07/2013 at 00:39  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , ,

13 de Julho – Dia do Engenheiro de Saneamento

O dia 13 de julho consta do calendário nacional como o Dia do Engenheiro de Saneamento após o Decreto número 53.697/64 ser assinado pelo presidente João Goulart. A data foi instituída no mesmo dia em que o Departamento Nacional de Obras de Saneamento foi transformado em autarquia.

E em tempos de preocupação global com a escassez de água, e considerando ainda que o Brasil é detentor de uma das maiores reservas hídricas do planeta, o trabalho dos engenheiros de Saneamento ganha ainda mais relevância e responsabilidade.

A Resolução do Confea 310/86 define o Engenheiro de Saneamento como aquele profissional que desenvolve atividades relacionadas com sistemas de abastecimento de água, incluindo captação, adução, reservação, distribuição e tratamento de água; sistemas de distribuição de esgoto em soluções individuais ou sistemas de esgotos, incluindo tratamento; coleta, transporte e tratamento de resíduos sólidos (lixo); controle sanitário do ambiente, incluindo o controle de poluição ambiental; controle de vetores biológicos transmissores de doenças, como insetos e roedores; instalações prediais hidrossanitárias; saneamento de edificações e locais públicos, tais como piscinas, parques e áreas de lazer, recreação e esporte em geral; e saneamento dos alimentos.

Há 400 anos os egípcios já conheciam técnicas de tratamento da água. Dois mil anos antes de Cristo, os persas já se preocupavam com a preservação dos recursos naturais, proibindo o lançamento de excretas nos rios. Milênios antes da Era Cristã, chineses e japoneses já tratavam a água para consumo.

Fonte: Assessoria de Imprensa do MTE / Jus Brasil

saneamento1

Published in: on 09/07/2013 at 00:48  Deixe um comentário  
Tags: , ,

21 de Junho – Dia Mundial da Hidrografia – World Hydrography Day

O dia 21 de junho foi instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas como Dia Mundial da Hidrografia. O objetivo deste dia é permitir a divulgação da relevância do trabalho da Organização Hidrográfica Internacional e dos serviços hidrográficos dos Estados-membros, em prol da segurança da navegação e da proteção do meio marinho.

A Organização Hidrográfica Internacional foi fundada em 1921, no Principado de Mônaco, com 18 Estados-membros fundadores. Atualmente a OHI conta com 76 Estados-membros e tem como principais tarefas: coordenar as atividades entre serviços hidrográficos nacionais; uniformizar as cartas e documentos náuticos; adotar métodos exatos e eficientes para a realização de levantamentos hidrográficos; desenvolver as ciências e as técnicas, no domínio da hidrografia e da oceanografia descritiva.

Every year in June, the IHO celebrates World Hydrography Day. The aim of the day is to recognise the achievements of the hydrographic community and to raise awareness and understanding of hydrography, which is essential for safe navigation and the protection of the marine environment. First celebrated on June 29 2005, the UN adopted a resolution to celebrate it annually to coincide with the date the IHO was established in 1921.

The International Hydrographic Organization (IHO) celebrates World Hydrography Day (WHD) on 21st of June, this year carrying the theme Hydrographic Services – the essential element for maritime trade. This is the anniversary date on which the IHO was created in 1921.

Fonte: The Future of Navigation / Hydro International

hidrografia_mundial

17 de Junho – Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca – World Day to Combat Desertification and Drought

O dia 17 de junho marca a data de adoção da Convenção para Combate à Desertificação (UNCCD, na sigla em inglês), adotada pelos países membros da ONU em 1994. É uma oportunidade para chamar atenção sobre o problema mundial da degradação de terras férteis que cresce mais e mais a cada ano.

A desertificação é definida como processo de destruição do potencial produtivo da terra nas regiões de clima árido, semi-árido e sub-úmido seco. O problema vem sendo detectado desde os anos 30, nos Estados Unidos, quando intensos processos de destruição da vegetação e solos ocorreu no Meio Oeste americano.

As estatísticas falam por si mesmas: 24 bilhões de toneladas de terras férteis desaparecem todos os anos devido à desertificação. A desertificação ameaça entre 30% a 40% das terras férteis do mundo, além disso, mais de um bilhão de pessoas vivem nestas regiões, das quais dois terços estão localizados na Ásia e na África. No Brasil existem quatro áreas, que são chamadas núcleos de desertificação, onde é intensa a degradação. Elas somam 18,7 mil km² e se localizam nos municípios de Gilbués, no Piauí; Seridó, no Rio Grande do Norte; Irauçuba, no Ceará e Cabrobó, em Pernambuco.

O Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca é um lembrete anual de uma catástrofe genuína que devemos lutar contra. A mudança climática é parcialmente culpada por este fenômeno, mas as atividades do homem também contribuem fortemente. A desertificação não é uma fatalidade e existem soluções para combatê-la, como o reflorestamento, a prevenção da seca, práticas agrícolas sustentáveis, entre outras.

Para sensibilizar a opinião pública sobre este fenômeno e motivá-la a reagir contra isto, a UNESCO coloca à disposição de professores de ensino básico e de estudantes entre 10 e 12 anos um kit pedagógico sobre a desertificação. O kit está sendo desenvolvido em 9 línguas em formato impresso e este conjunto de documentos podem ser consultados também em francês e inglês em formato eletrônico.

In December 1994, the United Nations General Assembly declared June 17 the World Day to Combat Desertification and Drought. The assembly acknowledged that desertification and drought were global problems because they affected all regions of the world. The assembly also realized that joint action by the international community was needed to combat desertification and drought, particularly in Africa.

States were invited to devote the World Day to promoting awareness of the need for international cooperation to combat desertification and the effects of drought, and on the implementation of the Convention to Combat Desertification.  Since then, country parties to the United Nations Convention to Combat Desertification (UNCCD), non-governmental organizations and other interested stakeholders celebrate this particular day with outreach activities worldwide on June 17 each year.

Fonte: Unesco Brasil / Verbeat / Timeanddate

desertificação1

Published in: on 15/06/2013 at 00:53  Deixe um comentário  
Tags: , , , ,

A Água no Brasil e no Mundo

A água é provavelmente o único recurso natural que tem a ver com todos os aspectos da civilização humana, desde o desenvolvimento agrícola e industrial aos valores culturais e religiosos arraigados na sociedade. É um recurso natural essencial, seja como componente bioquímico de seres vivos, como meio de vida de várias espécies vegetais e animais, como elemento representativo de valores sociais e culturais e até como fator de produção de vários bens de consumo final e intermediário.

Segundo estatísticas, 70% do planeta é constituído de água, sendo que somente 3% são de água doce e, desse total, 98% de água subterrânea. Isto quer dizer que a maior parte da água disponível e própria para consumo é mínima, perto da quantidade total de água existente na nossa Terra. Nas sociedades modernas, a busca do conforto implica necessariamente em um aumento considerável das necessidades diárias de água.

Os recursos hídricos têm profunda importância no desenvolvimento de diversas atividades econômicas. Em relação à produção agrícola, a água pode representar até 90% da composição física das plantas. A falta  de água em períodos de crescimento dos vegetais pode destruir lavouras e até ecossistemas devidamente implantados. Na indústria, para se obter diversos produtos, as quantidades de água necessárias são muitas vezes superiores ao volume produzido.

Observando os dados abaixo, percebemos que precisamos começar a utilizar a água de forma prudente e racional, evitando o desperdício e a poluição, pois:
– Um sexto da população mundial, mais de um bilhão de pessoas, não têm acesso a água potável;

– 40% dos habitantes do planeta (2.400 milhões) não têm acesso a serviços de saneamento básico;

– Cerca de 6 mil crianças morrem diariamente devido a doenças ligadas à água insalubre e a um saneamento e higiene deficientes;

– Segundo a ONU, até 2025, se os atuais padrões de consumo se mantiverem, duas em cada três pessoas no mundo vão sofrer escassez moderada ou grave de água.

A Terra possui 1,4 milhões de quilômetros cúbicos de água, mas apenas 2,5% desse total é doce. Os rios, lagos e reservatórios de onde a humanidade retira o que consome só correspondem a 0,26% desse percentual. Daí a necessidade de preservação dos recursos hídricos. Em todo mundo, 10% da utilização da água vai para o abastecimento público, 23% para a indústria e 67% para a agricultura.

A água doce utilizada pelo homem vem das represas, rios, lagos, açudes, reservas subterrâneas e, em certos casos, do mar (após um processo chamado dessalinização). A água para o consumo é armazenada em reservatórios de distribuição e depois enviada para grandes tanques e caixas de água de casas e edifícios. Após o uso, a água segue pela rede de captação de esgotos. Antes de voltar à natureza, ela deve ser novamente tratada, para evitar a contaminação de rios e reservatórios.

O Brasil é um país privilegiado no que diz respeito à quantidade de água. Tem a maior reserva de água doce da Terra, ou seja, 12% do total mundial. Sua distribuição, porém, não é uniforme em todo o território nacional. A Amazônia, por exemplo, é uma região que detém a maior bacia fluvial do mundo. O volume de água do rio Amazonas é o maior do globo, sendo considerado um rio essencial para o planeta. Ao mesmo tempo, é também uma das regiões menos habitadas do Brasil.

Em contrapartida, as maiores concentrações populacionais do país encontram-se nas capitais, distantes dos grandes rios brasileiros, como o Amazonas, o São Francisco e o Paraná. O maior problema de escassez ainda é no Nordeste, onde a falta de água por longos períodos tem contribuído para o abandono das terras e para a migração aos centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro, agravando ainda mais o problema da escassez de água nestas cidades.

Além disso, os rios e lagos brasileiros vêm sendo comprometidos pela queda de qualidade da água disponível para captação e tratamento. Na região amazônica e no Pantanal, por exemplo, rios como o Madeira, o Cuiabá e o Paraguai já apresentam contaminação pelo mercúrio, metal utilizado no garimpo clandestino, e pelo uso de agrotóxicos nos campos de lavoura. Nas grandes cidades, esse comprometimento da qualidade é causado por despejos de esgotos domésticos e industriais, além do uso dos rios como convenientes transportadores de lixo.

Fonte: Rios Voadores

Declaração Universal dos Direitos da Água

Art. 1º – A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.

Art. 2º – A água é a seiva do nosso planeta. Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.

Art. 3º – Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.

Art. 4º – O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Art. 5º – A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º – A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

Art. 8º – A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

Art. 9º – A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º – O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

O Dia Mundial da Água é comemorado em 22 de março.

Fonte: Sua Pesquisa

Published in: on 21/03/2011 at 01:50  Deixe um comentário  
Tags: , , ,