12 de Julho – Dia do Engenheiro Florestal

O dia 12 de julho é dedicado ao Engenheiro Florestal. Este profissional tem um vasto campo de ação, lutando contra pragas, erosões e incêndios, além de atuar em estudos e projetos para renovação e conservação de ecossistemas. Para isso precisa ter boas noções de topografia, ecologia, legislação ambiental, hidrologia e até bioquímica.

O aproveitamento racional da floresta, o reflorestamento, a produção de sementes e o impacto das indústrias de móveis, papel e celulose são uma constante preocupação na vida dos engenheiros florestais. Há um uso indiscriminado de corte de árvores, desde o uso de madeira nobre para a manufatura do carvão, até a exportação. Os engenheiros florestais são os profissionais que trabalham para manter a floresta viva.

O Brasil é muito rico em florestas e a maior parte delas é de domínio público. São as chamadas Flonas – abreviação de Florestas Nacionais – áreas que possuem cobertura florestal nativa ou reflorestada, e que possuem o plantio ou a retirada de madeiras de forma controlada. As Flonas servem para pesquisas científicas e garantem a proteção das espécies, belezas naturais, sítios históricos e arqueológicos, e dos recursos hídricos.

A data foi escolhida em homenagem a São João Gualberto que, de acordo com a tradição da Igreja Católica, também se dedicou ao cultivo de bosques florestais. Seu lema era “conservar e saber usar”.

Fonte: Portoweb / JusBrasil

engenheiro-florestal

28 de Julho – Dia Mundial da Conservação da Natureza – World Nature Conservation Day

O Dia Mundial da Conservação da Natureza foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas e comemora-se a 28 de julho. Este dia tem como objetivo chamar a atenção para os problemas da conservação da Natureza.

Algumas regras para conservar a natureza:

1. Não jogar lixo nas ruas. O lixo entope os bueiros, atraindo ratos e baratas, diminuindo a vazão das águas pluviais, o que aumenta o risco de enchentes, torna a cidade suja, causa mau cheiro, etc. Jogue lixo na lixeira.

2. Não destruir as árvores urbanas, pois estas amenizam o calor, facilitando o tráfego de pessoas, dão abrigo aos pássaros e embelezam a cidade.

3. Evitar ao máximo utilizar produtos descartáveis.

4. Reutilizar tudo o que puder: plásticos, latas, garrafas, etc.

5. O turismo predatório é um dos grandes responsáveis pela poluição do meio ambiente. Não jogue lixo nas praias, lagos e parques. O campista deve sempre enterrar o lixo do acampamento.

6. Nunca jogue cigarro aceso pela janela do carro ou mesmo quando estiver caminhando pelo mato. Na seca isso poderá causar incêndios. Quando a vegetação é queimada, o solo empobrece, milhares de animais são mortos, o clima altera a paisagem.

7. Não se omita frente a degradação do meio ambiente. Denuncie aos órgãos competentes os atos de degradação ambiental, e exija também do Estado uma ação efetiva de proteção ambiental.

8. A conservação do meio ambiente é responsabilidade de todos, pois todos nós fazemos parte da Natureza Mãe.

The United Nations proclaimed July 28 the World Nature Conservation Day.

Fonte: UN / Wikipédia / Língua Pátria

conservacao_natureza

Published in: on 26/07/2013 at 00:39  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , ,

27 de Maio – Dia Nacional da Mata Atlântica

A Mata Atlântica foi considerada Patrimônio Nacional pela Constituição Federal de 1988 (art. 225, § 4°) e pelo Decreto 750, de 10 de fevereiro de 1993. Posteriormente, outro decreto presidencial de 21 de setembro de 1999 instituiu o dia 27 de maio como Dia Nacional da Mata Atlântica. O dia foi escolhido porque foi em 27 de maio de 1560 que o Pe. Anchieta assinou a famosa “Carta de São Vicente, onde descreveu, pela primeira vez, a biodiversidade das florestas tropicais.

A Mata Atlântica estendia-se, originalmente, por cerca de 1.300.000 km2 do território brasileiro. Hoje, os remanescentes primários e em estágio médio/avançado de regeneração estão reduzidos a apenas 7,84% da cobertura florestal original, o que compreende aproximadamente 100.000 km. Isso faz com que o Bioma Mata Atlântica seja considerado o segundo mais ameaçado de extinção do mundo. Apesar da devastação, a Mata Atlântica é um dos biomas com uma das mais altas taxas de biodiversidade do mundo: cerca de 20.000 espécies de plantas angiospermas (6,7% de todas as espécies do mundo), sendo 8.000 endêmicas, e grande riqueza de vertebrados (264 espécies de mamíferos, 849 espécies de aves, 197 espécies de répteis e 340 espécies de anfíbios).

Fonte: Verbeat

mata_atlantica

Plantas Suculentas

As plantas suculentas necessitam de cuidados especiais durante o inverno. Neste período é preciso regular as regas, cobrir ou remover as plantas para proteger contra geadas. A rega deve ser espaçada, pois o excesso pode provocar o apodrecimento das raízes. Por isso, as regas devem ser feitas em dias ensolarados, para o sol secar o excesso de umidade, e com água morna, sendo que os intervalos entre as regas variam entre diferentes espécies de plantas suculentas.

Tanto as plantas suculentas cultivadas em vaso como as plantadas em terra necessitam de luz intensa e direta o maior número de horas possível. No inverno o sol é fraco e não proporciona a mesma quantidade de luz que as outras estações. Dentro de casa, com o uso de ar condicionado a temperatura fica adequada, mas faz com que o ar fique muito seco, o que é prejudicial para as plantas.

As plantas suculentas também são muito sensíveis a geadas, provocando sintomas de queima, pois estas são naturais de regiões em que não há ocorrência de geadas. As plantas suculentas em jardins podem ser protegidas por tendas de polietileno ou outras películas plásticas armadas sobre elas no final do dia, ou se não incomodar o fator estético, a  tenda pode ficar armada durante todo o inverno até haver passado o risco de geadas. Plantas em vaso, que estão ao ar livre, podem ser removidas do local, sendo levadas para dentro de casa ou para estufas ornamentais. Estas estufas fornecem controle de iluminação, umidade relativa e temperatura ideal.

Fonte: Planta Sonya

Published in: on 05/12/2011 at 00:35  Deixe um comentário  
Tags: ,

Como Cuidar de Orquídeas

O modo mais fácil de matar uma orquídea é molhando-a demais. Suas raízes ficam sem oxigênio e morrem, e os fungos se proliferam de forma descontrolada. As regas devem ser feitas de 2 a 3 vezes por semana, dependendo do clima na época. Para saber quando regar, cave levemente e sinta a umidade a cada 2 dias. Se ainda estiver úmido, não regue, espere até secar. Regue até que a água comece a escorrer por baixo do vaso. Para elas, é melhor a falta ao excesso de água.

Devemos regá-las de preferência no início da manhã ou final da tarde, evite regar à noite para não deixar as folhas molhadas durante toda à noite.

Molhar as folhas não é necessário, mas às vezes inevitável. Quando puder, aplique a água na base da planta ou em pratinhos, pois manter as folhas secas reduz a possibilidade de algumas doenças.

No caso de pratinhos, evite mantê-los cheios d’água, pois isso é indício de excesso, e sempre coloque areia grossa, para evitar a proliferação do mosquito da dengue.

Adube sua orquídea, ela precisa de nutrientes para crescer. O próprio xaxim ou fibra de coco é fornecedor natural de vários nutrientes. Mas cuidado: o exagero de adubo é pior do que a falta.

A adubação foliar pode ser feita a cada 15 dias ou mais, com misturas próprias de adubo mineral, dissolvidos em água e aplicados com borrifadores comuns. Procure em casas especializadas, há diversas formulações, busque mais informações na embalagem dos produtos. Cada adubo exige quantidades diferentes, portanto informe-se sobre a dose e forma de aplicação do adubo que você comprar. Isso geralmente está escrito na embalagem.

Poucas são as doenças que podem atacar as orquídeas, mas caso ataquem, pouco pode ser feito. Alguns insetos podem se tornar problemas, sendo os principais os pulgões e as cochonilhas. Os pulgões podem ser facilmente eliminados borrifando-se uma mistura de água e detergente, ou mesmo inseticidas domésticos à base de água, como o “SBP”. Já as cochonilhas devem ser removidas manualmente, sob a torneira, raspando-se as folhas com uma escova macia (pode ser uma escova dental).

Quando a planta estiver excessivamente ramificada, ou com as raízes muito grandes para o vaso, devemos efetuar a divisão da planta, ou passá-las a um vaso maior, pois suas raízes já não possuirão mais espaço para seu bom desenvolvimento. Lembre-se que muitas orquídeas criam raízes fora do vaso mesmo que não esteja faltando espaço, o que é normal. Outro critério é trocarmos o vaso quando o substrato começar a drenar mal a água, o que indica um excesso de raízes.

Como plantar ou trocar de vaso: 1 – Retire a orquídea do vaso. Se possível, divida-a em partes; 2 – Lave as raízes. Faça isso com cuidado, em água corrente, sob uma torneira. Passe os dedos nelas, retirando-se as raízes mortas e fragmentos restantes. Mantenha as raízes saudáveis intactas; 3 – Adicione material de drenagem (opcional). Coloque uma camada de brita, argila expandida ou mesmo isopor; 4 – Coloque osubstrato. Deixe um pouco para completar depois da colocação da muda. Molhe-o bem no fim do processo; 5 – Acomode a muda. Acomode a planta em um dos cantos do vaso. Mantenha a brotação nova (base do maior pseudobulbo) voltada ao centro do vaso, para dar espaço ao seu desenvolvimento; 6 – Adube (opcional). Coloque uma pequena quantidade de adubo orgânico ou mistura na lateral do vaso.

Apesar de parecerem, as orquídeas não são exigentes em substrato. Você pode usar: fibra de coco, casca de pinus, esfagno, carvão, pedra britada ou argila expandida.

Fonte: Cultivando

Published in: on 12/05/2011 at 14:40  Comments (1)  
Tags: , , , , , ,

Como cuidar de um Bonsai

Para cuidar de um bonsai em sua casa ou em seu apartamento, você deve cuidar de três pilares: local, rega e adubação.

Você pode colocar o seu bonsai em sua sala, em seu quarto ou em sua cozinha. Mas há um porém: sempre deixe-os perto de janelas, onde a planta possa receber luminosidade. As plantas sempre devem permanecer em locais com boa luminosidade do sol e boa temperatura.

Comece a regar bem devagar, por cima da terra em volta do tronco, certificando-se de que a água esteja penetrando por toda área do solo, até que vaze um pouquinho de água pelos orifícios de drenagem, situados por baixo do vaso. Parece fácil e é, mas você ainda pode falhar porque existem situações que podem te confundir.

Você só pode regar novamente apenas quando a terra estiver quase seca. Pode ser que seja todo dia, pode ser dia sim, dia não. Vai depender do local em que ele estiver e da temperatura deste local.

Existem diversas formas de ver se a terra está quase seca ou se já é hora de regar novamente. A terra quando está molhada apresenta brilho, tem coloração mais escura, pode ser perfurada facilmente com um palito e o tato também denuncia a presença de umidade. Observe ou faça testes com um palito (tipo picolé), quando a terra está seca, o palito ou qualquer objeto da espessura de um lápis, tem dificuldade de penetrar no solo. Faça teste pela coloração, molhe a terra seca e observe a diferença de cor.

Adubar, nada mais é do que fornecer alimento as suas plantinhas. Os adubos possuem matérias primas que protegem as plantas de pragas e etc.

Existem diversas marcas no mercado e o conteúdo básico dos adubos é: Nitrogênio (N) – Fósforo (P) e Potássio (K), estes nutrientes são definidos em porcentagens nas instruções de uso ou na composição do produto. Você deve escolher um que tenha os três nutrientes em proporções semelhantes. Exemplo: Que tenha N.P.K. 10.10.10 – significa que tem 10% de cada um dos nutrientes. Outro exemplo: N.P.K. 08.06.08.

A partir da escolha do produto você deverá ler as instruções de uso, onde estará citado qual a quantidade a ser usada, de que forma usar e em qual frequência.Você nunca deve alterar as quantidades e nem a freqüência de uso dos adubos, pois a adubação em excesso pode causar enormes prejuízos e a morte da planta.

Além de se fazer a adubação mineral, você deve fazer mensalmente uma adubação orgânica. Use para isto a torta de mamona, encontrada em casa de produtos veterinários e agrícolas. Peça orientações sobre a quantidade a ser usada ou siga as orientações da embalagem do produto.

Published in: on 01/10/2010 at 14:36  Deixe um comentário  
Tags: ,