Cheiro de esgoto: como eliminar em passos simples

O cheiro de esgoto é resultado de gases presentes na tubulação e alguns descuidos. Este odor pode chegar aos cômodos da sua casa, causando bastante desconforto para os moradores.

Verifique o ajuste do sifão

Em alguns casos, o cheiro de esgoto é provocado pelo acúmulo de resíduos no sifão, aquele dispositivo em tanques e pias que fica na saída dos tubos de escoamento de esgoto.

Verifique se os modelos dos sifões do seu imóvel são articulados. O ideal é que o sifão tenha um fecho hídrico, pois esse sistema cria um acúmulo de água no interior e evita o retorno dos odores.

Observe se o seu sifão está perfeitamente ajustado na tubulação e que não há vazamentos. Verifique também se os anéis de vedação estão ressecados – esse problema pode permitir a passagem dos gases.

Faça limpezas periódicas na caixa sifonada

Outro item muito importante do sistema hidráulico é a caixa sifonada, ela também pode ser a causa do cheiro de esgoto.

Como este dispositivo recebe todo o esgoto dos aparelhos sanitários e dos ralos, verifique a existência de algum material orgânico em seu interior, como os fios de cabelo, por exemplo.

A recomendação é que seja feita uma limpeza por mês.

Cheque com frequência a caixa de gordura do seu esgoto

Se o seu imóvel vem sofrendo com o cheiro de esgoto e você já checou o sifão e a caixa sifonada, é hora de verificar a caixa de gordura.

Instalada na saída de esgoto da cozinha, ela retém a gordura que chega aos encanamentos e evita o entupimento dos canos, mas quando não funciona corretamente pode liberar mau cheiro.

Observe a existência de fendas ou trincas na tampa e na estrutura da caixa de gordura. Para evitar entupimentos e o mau cheiro, faça uma limpeza semestral. A gordura se solidifica e pode ser retirada com a ajuda de uma concha.

Cuide da vedação do vaso

A vedação inadequada da saída do vaso sanitário é uma das causas de cheiro de esgoto no banheiro.

Verifique se o espaço entre a bacia e o chão está devidamente preenchido com rejunte. Também dê uma olhada na junta entre a saída do vaso e a tubulação de esgoto. Se o anel de vedação não estiver em bom estado, é hora de substituí-lo.

Confira algumas soluções caseiras para eliminar o cheiro de esgoto

Se após a verificação dos sistemas hidráulicos e de vedação você verificar que não existe nenhum problema aparente, o cheiro de esgoto pode ser apenas resultado de um acúmulo de material nos canos. Felizmente, existem algumas soluções caseiras que podem por fim ao problema.

Bicarbonato e vinagre ajudam contra o cheiro de esgoto

Essa dupla é cheia de utilidades, uma delas é justamente desentupir canos de pias e ralos. Despeje 100 gramas de bicarbonato de sódio na pia ou ralo. Em seguida, despeje 200 ml de vinagre branco. Assim que começar a efervescer, vede a abertura com um pano e deixe em repouso por 30 minutos. Passado esse tempo, despeje 300 ml de água morna.

Fermento químico

Você também pode utilizar o fermento químico para acabar com o cheiro de esgoto. Aplique a mistura de 3 colheres de sopa de fermento em pó dissolvidas em 300 ml de água nos canos e deixe repousar de um dia para o outro.

Por não conterem produtos corrosivos, essas soluções podem ser feitas uma vez ao mês, para evitar o entupimento dos canos e neutralizar odores.

Fonte: Precon

Anúncios
Published in: on 18/02/2018 at 19:01  Deixe um comentário  
Tags: , , , , ,

Osōji – A grande faxina de fim de ano

Assim como no Brasil e outros países, onde as pessoas costumam fazer uma boa faxina na casa, deixando-a nos trinques para o Ano Novo, no Japão esse hábito é visto como uma tradição milenar, que tem como objetivo não só a questão da higiene em si, mas também como algo “purificador”, pelo ponto de vista religioso e espiritual.

É o ritual do Osōji, realizado no dia 31 de dezembro, véspera de Ano Novo, no qual todos os japoneses em geral promovem uma grande limpeza, não só em suas casas, mas nas ruas, nos bairros, no ambiente de trabalho, escolas, praças, jardins…

Nos centros comunitários, o Osōji é realizado em forma de mutirão e envolve pessoas de todas as idades, de crianças à idosos.

Nos locais de trabalho, é comum o Osōji acontecer antes da véspera de Ano Novo, pois muitas fábricas, empresas ou escritórios, entram em recesso 2 a 3 dias antes do Ano Novo. Nas fábricas, o Osōji pode começar durante a segunda quinzena de dezembro, pois como são geralmente galpões grandes, a limpeza é mais trabalhosa.

Já nas residências, o Osōji do fim de ano implica em tirar toda a sujeira dos cômodos e nenhum cantinho da residência deve ser esquecido. As famílias japonesas aproveitam para jogar fora tudo que for inútil e que esteja apenas fazendo volume. Muitos ainda, durante essa época do ano, resolvem trocar o tatame e o papel de parede que estejam velhos por um novinho em folha.

O Susuharai é um ritual tradicional para remover a fuligem e poeira dos santuários e templos. É visto como uma obrigação e tem caráter também religioso e espiritual. Acredita-se que o Susuharai serve para jogar fora toda a sujeira física acumulada durante o ano e junto com ela, mandar embora também a “sujeira espiritual”, ou seja, livrar-se das energias ruins e deixar o ambiente purificado para trazer boas energias ao ambiente e às pessoas que ali frequentam.

Os japoneses acreditam que esse costume ajuda a terminar o ano bem, deixando tudo limpo e organizado para o ano que está para chegar. Com isso, o ano fluirá melhor e boas coisas acontecerão. Nos tempos antigos e até nos dias de hoje, o Susuharai também era uma forma de mostrar gratidão pelas boas safras do ano.

Mas a recompensa de deixar tudo limpinho não tem preço. É quase como lavar a alma do ambiente, renovando as energias acumuladas no decorrer do ano… também com a intenção de mandar pra fora os maus espíritos que eventualmente podem estar morando na casa. Época de renovação… de bons fluidos… de se reenergizar espiritualmente.

Por que geralmente os japoneses deixam para pegar firme na limpeza de suas casas durante o dia 31 de dezembro, véspera de Ano Novo? É um dia muito simbólico para os japoneses, está intensamente associado em preparar a mente para o próximo ano que vai chegar.

O Osōji e o Susuharai são eventos tradicionais muito importantes no Japão, assim como todas as tradições relacionadas ao Ano Novo (Oshougatsu). Não é a toa que a virada do Ano é a data considerada mais esperada pelos japoneses devido a todo um contexto religioso, cheio de superstições, mitos e magia.

Fonte: Japão em Foco

Published in: on 26/12/2017 at 01:12  Deixe um comentário  
Tags: , , , , ,

Como Limpar Vassouras

A vassoura é uma ferramenta bastante utilizada para fazer a limpeza da casa. Usar uma vassoura suja para o trabalho pode ser ineficiente, fazendo com que se aumente o tempo e esforço necessário para varrer o chão.

Não basta usar o modelo de vassoura correto para varrer cada tipo de ambiente, também é preciso higienizá-la. Quando limpamos uma vassoura, também removemos todo a sujeira que ela possa ter acumulado.

Limpar a vassoura não é uma tarefa trabalhosa, podemos utilizar itens domésticos, fáceis de serem encontrados pela casa. Depois de aprender como limpá-la, poderá utilizar a ferramenta com muito mais eficiência, ajudando a remover a poeira, pelos, areia, restos de alimentos e toda a sujeira que ela possa eliminar.

INSTRUÇÕES

Diferentemente da vassoura elétrica, vassouras naturais e sintéticas precisam ser lavadas em intervalos regulares. Fácil e simples, a limpeza da vassoura deve ser feita em uma periodicidade mensal, fundamental para remover detritos preso nas cerdas com mais facilidade.

Durante a manutenção, você pode usar luvas e uma escova dura para remover a maior quantidade de sujidades impregnadas das cerdas.

Vassouras de cerdas sintéticas, seja de nylon, silicone ou PET devem ser lavadas e deixadas de molho por 15 minutos em um balde com água quente, detergente neutro e desinfetante.

Vassouras de cerdas naturais, seja de pelo, piaçava ou palha devem ser mergulhadas em água morna com sabão neutro.

O cabo da vassoura também deve ser limpo, utilize um pano umedecido com vinagre ou desinfetante doméstico.

Após a lavagem, pendure as vassouras para secá-las ao ar livre, deixe-as com as cerdas voltadas para cima. Se você precisa utilizá-la antes que esteja totalmente seca, use uma toalha velha para absorver o maior excesso de líquido possível.

DICAS E INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Economize tempo e lave-as todas de uma só vez, remova o cabo das vassouras e, em seguida, deixe-as de molho em um balde com a solução de limpeza.

Para que não deformem e percam o formato, nunca deixe as vassouras com as cerdas para baixo, procure deixá-las penduradas por ganchos ou apoiadas com as cerdas para cima.

As vassouras podem ser limpas após cada utilização com uma escova de cerdas duras, se deseja mais praticidade, faça a manutenção diretamente em um saco plástico.

Fonte: Como Limpar Vassouras

vassouras

 

Published in: on 29/09/2016 at 13:15  Deixe um comentário  
Tags: , , ,

16 de Maio – Dia do Gari

Os garis são os profissionais da limpeza pública que recolhem o lixo das moradias, edifícios comerciais e residenciais, além de varrer as ruas e também cuidar da capina da grama. Eventualmente também trabalham no desentupimento de bocas de lobo e na desinfecção de ruas. 16 de maio é o Dia do Gari, instituído por uma lei em 31 de outubro de 1962.

O nome gari também é uma homenagem a uma pessoa que se destacou na história da limpeza da cidade do Rio de Janeiro – o francês Aleixo Gary.

O empresário Aleixo Gary assinou contrato em 11 de outubro de 1876 com o Ministério Imperial para organizar o serviço de limpeza da cidade do Rio de Janeiro. O serviço incluía remoção de lixo das casas e praias e posterior transporte para a Ilha de Sapucaia, onde hoje fica o bairro Caju.

Ele permaneceu no cargo até o vencimento do contrato, em1891. Em seu lugar, entrou o primo Luciano Gary. A empresa foi extinta um ano depois, sendo criada a Superintendência de Limpeza Pública e Particular da Cidade, cujos serviços deixavam a desejar.

Em 1906, a superintendência tinha 1.084 animais, número insuficiente para carregar as 560 toneladas de lixo da cidade. Assim, da tração animal passou-se à tração mecânica, e depois ao uso do caminhão.

Fonte: Portoweb / IBGEteen / Jornal Comunicação

Published in: on 14/05/2013 at 02:11  Deixe um comentário  
Tags: , ,

Higiene Íntima

Feminina

Devemos entender que a genitália feminina detesta ser agredida com produtos químicos e que mesmo mantendo mecanismos próprios de proteção, não é por isso que vamos deixar de fazer a higiene que ela merece e necessita. Vão aí algumas dicas:

1- Use sempre sabonetes neutros; jamais use desodorantes íntimos; mantenha os pelos pubianos aparados.

2 – Após urinar, seque a vulva encostando o papel higiênico, sem fazer movimentos bruscos, para evitar que o papel esfarele e deixe pequenos pedaços grudados; nunca traga o papel de trás para a frente pois poderá contaminar a vagina com bactérias que habitam normalmente a região perianal .

3 – No banho, procure afastar os lábios vaginais para fazer a higiene dos sulcos interlabiais.

4 – Não é necessário lavar ou fazer “chuveirinho” dentro da vagina.

5 – Evite o uso habitual de absorvente fora do período menstrual.

6 – Durante a menstruação troque o absorvente externo ou interno com frequência.

7 – Dê preferência às roupas íntimas de tecido natural como o algodão; as calcinhas de “lycra” ou renda aumentam a temperatura e são irritantes das mucosas.

8 – Evite usar roupas apertadas no dia-a-dia, durma com roupas soltas, e dispense a calcinha sempre que possível.

9 – Procure urinar após a relação sexual, esse hábito ajuda a evitar a cistite já que o jato urinário lava a uretra, que em algumas mulheres se contamina com muita facilidade no coito.

Masculina

Higiene nada mais é que cuidar da saúde. Além das instruções já conhecidas sobre higiene genital, como: evitar relações quando enfermo; tratar das doenças; lavar os genitais com água corrente antes e depois do sexo oral e também após urinar ou defecar. Alguns cuidados extras devem ser tomados para o homem ficar em dia com sua saúde:

1 – Apesar de ser antiromântico, após qualquer tipo de contato sexual, deve-se lavar os genitais com água corrente, mesmo tendo usado preservativo.

2 – Usar um sabonete neutro e massageá-los levemente, incluir a glande, prepúcio, corpo de pênis, região pubiana, região anal e perianal.

3 – Há homens em que a produção e acúmulo de esmegma (o popular sebo do pênis), é mais exuberante. Nestes casos, a higiene deve ser feita com a frequência adequada a cada indivíduo: tantas vezes quantas forem necessárias para manter o pênis limpo.

4 – Os pelos pubianos, escrotais, perianais e das virilhas, possuem uma função pouco conhecida e relegada a segundo plano: reduzir o atrito entre duas superfícies cutâneas que se tocam. Portanto, não se deve raspar tais pelos sob pena de ocorrer reações locais tais como infecções, irritações e escoriações da pele. Os que assim preferirem, devem evitar raspá-los com lâminas, fazendo apenas a “poda” dos pelos com tesoura, deixando-os, no mínimo, com 1,5 cm de comprimento.

Fonte: ABC do Sexo

Published in: on 13/11/2011 at 15:39  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , ,

Como Lavar a Caixa de Água

Depois do tratamento realizado pela Sabesp é hora do cliente fazer sua parte e zelar pela qualidade do produto oferecido. Para isso, é imprescindível cuidar das instalações hidráulicas e lavar a caixa d’ água a cada seis meses.

Confira aqui dicas para fazer isso da forma correta e, o mais importante, com segurança. A seguir estão as dicas para as caixas residenciais com menos de 5 mil litros de água:

1 – Programe com antecedência o dia da limpeza da caixa d’ água. Escolha de preferência um fim-de-semana em que você não tenha compromissos agendados.

2 – Tenha certeza de que a escada que dá acesso à caixa está bem posicionada e que não há o risco de escorregar.

3 – Feche o registro da entrada de água na casa ou amarre a bóia.

4 – Armazene água da própria caixa para usar enquanto estiver fazendo a limpeza.

5 – O fundo da caixa deve estar com um palmo de água.

6 – Tampe a saída para poder usar este palmo de água do fundo e para que a sujeira não desça pelo ralo.

7 – Utilize um pano úmido para lavar as paredes e o fundo da caixa. Se a caixa for de fibrocimento, substitua o pano úmido por uma escova de fibra vegetal ou de fio de plástico macio. Não use escova de aço, vassoura, sabão, detergente ou outros produtos químicos.

8 – Retire a água da limpeza e e a sujeira com uma pá de plástico, balde e panos. Seque o fundo com panos limpos e evite passá-los nas paredes.

9 – Ainda com a saída da caixa fechada, deixe entrar um palmo de água e adicione dois litros de água sanitária. Deixe por duas horas e use esta solução desinfetante para molhar as paredes com a ajuda de uma brocha e um balde ou caneca de plástico.

10 – Verifique a cada 30 minutos se as paredes secaram. Se isso tiver acontecido, faça quantas aplicações da mistura forem necessárias até completar duas horas.

11 – Não use esta água de forma alguma por duas horas.

12 – Passadas as duas horas, ainda com a bóia amarrada ou o registro fechado, abra a saída da caixa e a esvazie. Abra todas as torneiras e acione as descargas para desinfetar todas as tubulações da casa.

13 – Procure usar a primeira água para lavar o quintal, banheiros e pisos.

14 – Tampe bem a caixa para que não entrem insetos, sujeiras ou pequenos animais. Isso evita a transmissão de doenças. A tampa tem que ter sido lavada antes de ser colocada no lugar.

15 – Anote do lado de fora da caixa a data da limpeza e na agenda a data para a próxima limpeza. Abra a entrada de água da casa e deixe a caixa encher. Esta água já pode ser usada.

Fonte: SABESP

Published in: on 23/01/2011 at 17:13  Deixe um comentário  
Tags: , ,